Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Vendas de artigos de skate crescem 57% após as Olimpíadas

    Busca pela palavra 'skate' na internet também aumentou 600% após a disputa da modalidade nos Jogos Olímpicos de Tóquio

    Adriana de Luca, da CNN, em São Paulo

    As três medalhas dos atletas brasileiros no skate nas Olimpíadas de Tóquio estimularam o consumo de produtos relacionados ao esporte no Brasil. As vendas do segmento mais que dobraram em alguns canais de comércio eletrônico e movimentaram as lojas físicas e espaços da atividade.

    A procura nas plataformas de busca pela palavra “skate” aumentou 600%, impulsionada principalmente por Rayssa Leal, a “Fadinha”. Manuela Guerra Arouche Cintra, de 7 anos, começou as manobras em março, mas se apaixonou de vez vendo o desempenho da atleta em Tóquio e pediu um skate novo ao pai.

    O interesse também aumentou entre os meninos. “A gente tem hoje uma menina de 13 anos entre os maiores ícones. O esporte vive muito da questão do ídolo. Acredito firmemente que temos uma possibilidade parecida com a que o tênis teve desde 1997 com o Guga”, avaliou Eduardo Musa, presidente da Confederação Brasileira de Skate (CBSK), recordando o desempenho de Gustavo Kuerten nas quadras.

    A expectativa dos comerciantes é de que esse interesse todo pelas manobras vá permanecer. “Não só pela conquista das medalhas, mas pelo estilo e por ter atletas muito jovens. Isso gera incentivo nas pessoas”, afirmou Rafael Montalvão, diretor de marketing da Netshoes.

    “Teve uma procura grande por skate para iniciantes e pessoas que pararam por algum motivo e estão querendo voltar, de várias idades”, contou o comerciante Ulisses Muricy.

    Vendas de artigos de skate crescem 57% após a Olimpíada (14.Ago.2021)
    Vendas de artigos de skate crescem 57% após a Olimpíada (14.Ago.2021)
    Foto: Reprodução/CNN

    Além do comércio online, as lojas pequenas de bairro notaram um crescimento das vendas, e a procura por aulas do esporte também cresceu. “Principalmente nas prefeituras existe um ‘boom’ na procura por construção de pistas, uma procura gigante para aulas particulares de skate”, completou Musa.