Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Yahoo anuncia corte de 20% dos funcionários para reestruturação

    Demissões devem afetar mais de 1.600 pessoas no total e ocorrerão até o final deste ano

    Catherine Thorbeckedo CNN Business

    O Yahoo disse nesta quinta-feira (9) que cortará 20% de sua força de trabalho total até o final deste ano, enquanto reestrutura sua unidade de publicidade, apenas o exemplo mais recente das demissões que se espalham pelas indústrias de tecnologia e mídia.

    Um porta-voz do Yahoo disse à CNN que a antiga divisão de tecnologia de anúncios da empresa, Yahoo for Business, será reformulada e transformada em uma nova divisão chamada Yahoo Advertising.

    Como parte dessa mudança, o Yahoo planeja cortar quase 50% da divisão este ano, “incluindo quase 1.000 funcionários esta semana”, disse o porta-voz.

    “Essas decisões nunca são fáceis, mas acreditamos que essas mudanças irão simplificar e fortalecer nosso negócio de publicidade a longo prazo, ao mesmo tempo em que permitem que o Yahoo ofereça mais valor a nossos clientes e parceiros”, disse o porta-voz em comunicado.

    A Axios, que foi a primeira a relatar a notícia, disse que os cortes de empregos afetarão mais de 1.600 pessoas no total. O Yahoo não respondeu imediatamente a um pedido de comentário sobre o assunto.

    O CEO do Yahoo, Jim Lanzone, disse à Axios em uma entrevista que essas mudanças serão “extremamente benéficas para a lucratividade do Yahoo em geral” e permitirão que a empresa “ataque” e invista mais em outras partes lucrativas de seus negócios.

    O anúncio ocorre quando um número crescente de empresas de tecnologia e mídia está cortando custos para se ajustar a uma retração nos gastos com publicidade digital em meio a uma incerteza mais ampla na economia global.

    Outrora sinônimo da própria Internet durante grande parte da década de 1990, o Yahoo lutou para encontrar relevância nas décadas subsequentes, quando o Google dominou a pesquisa e as plataformas de mídia social como Facebook, Instagram e YouTube o substituíram como principais destinos online.

    A Apollo Global Management, uma empresa de private equity, adquiriu o Yahoo em 2021 por US$ 5 bilhões da Verizon, que comprou a empresa em 2017.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original