Mágico Roy Horn, da dupla Siegfried & Roy, morre vítima de coronavírus

De fama mundial pelos espetáculos com ilusionismo e animais, a dupla só se apresentou uma vez após 2003, quando Roy foi atacado por um tigre no palco

Madeline Holcombe e Andy Rose, da CNN
09 de maio de 2020 às 02:36
Roy Horn, à direita, e Siegfried Fischbachen durante evento em Las Vegas, em 2006
Foto: Ethan Miller/Getty Images

Roy Horn, da dupla de mágicos e ilusionistas Siegfried & Roy, morreu nesta sexta-feira (8) por complicações de saúde após contrair o novo coronavírus (Covid-19), segundo informou o publicitário da dupla. Ele tinha 75 anos.

"Roy foi um lutador a vida toda, inclusive durante esses últimos dias", disse Fischbacher em comunicado. "Agradeço sinceramente à equipe de médicos, enfermeiros e funcionários do Hospital Mountain View, que trabalharam heroicamente contra esse vírus insidioso que acabou tirando a vida de Roy".

Com fama mundial por seus espetáculos com animais e ilusionismo, Roy Uwe Ludwig Horn e Siegfried Fischbacher nasceram na Alemanha e começaram suas performances de mágica na Europa e depois se fixaram Las Vegas, onde se apresentaram por quatro décadas.

As apresentações terminaram após Horn ter sido atacado no palco pelo tigre branco Mantecore em outubro de 2003, cortando sua espinha.

O ataque aconteceu no 59º aniversário de Horn, e um membro da platéia disse à CNN na época que o mágico "parecia uma boneca de pano na boca do tigre". Horn sofreu uma severa hemorragia e teve um derrame. Ele precisou passar por duas cirurgias para voltar a andar.

Depois de se recuperar, Horn e Siegfried só se apresentariam juntos mais uma vez antes de se aposentarem em 2010. Segundo seu publicitário, Roy Horn passou o resto da vida viajando, visitando seus animais e assistindo a shows e eventos filantrópicos em Las Vegas.

"Hoje, o mundo perdeu um dos grandes nomes da magia, mas eu perdi meu melhor amigo", disse Fischbacher. "Desde o momento em que nos conhecemos, eu sabia que Roy e eu, juntos, mudaríamos o mundo. Não poderia haver Siegfried sem Roy, e Roy sem Siegfried".

Um memorial público será realizado para homenagear Roy Horn. Ele deixa para trás seu irmão, Werner Horn, e seu parceiro de longa data, Fischbacher.