No Mineirão vazio, Skank faz live para arrecadar doações para instituto de SP

Apresentação tem como objetivo angariar fundos para campanha que pretende minimizar os efeitos da pandemia de Covid-19 na favela de Heliópolis

Bruna Gavioli, da CNN em São Paulo
30 de maio de 2020 às 13:41 | Atualizado 30 de maio de 2020 às 13:55
Os integrantes do Skank
Foto: Divulgação/Skank

Como parte de sua turnê de despedida, o Skank realizará às 20h deste sábado (30) uma live para arrecadar doações para o Instituto Baccarelli, localizado em Heliópolis, uma das maiores favelas de São Paulo. Diferente das apresentações que artistas vêm fazendo durante a pandemia do novo coronavírus, a banda tocará no estádio Mineirão, em Belo Horizonte -- totalmente vazio.

O show será exibido pelo canal do YouTube da banda. O evento vai colaborar com a campanha #TocandoJuntosPorHeliópolis, que pretende minimizar os efeitos da pandemia na comunidade paulistana. As doações poderão ser feitas por meio da plataforma AME durante o evento online.

À CNN, o Skank disse que a live é “uma forma de entreter as pessoas em confinamento, divulgar e favorecer instituições não governamentais e movimentar o mercado musical, o primeiro a parar e o último a retomar o ritmo normal”.

"Acompanhamos de perto o trabalho sério do Projeto Querubins, Associação Mineira de Reabilitação e Instituto Baccarelli. Com a live, surgiu a possibilidade de levar essa parceria até o grande público", disse a banda.

Os fãs vão poder curtir um repertório cheio de clássicos como “Garota Nacional”, “Vou Deixar” e “Uma Partida de Futebol” -- cujo clipe foi gravado há 23 anos dentro do Mineirão -- além de músicas mais recentes como “Algo Parecido” e a nova “Simplesmente”, balada folk com participação de Roberta Campos, lançada especialmente para acompanhar a turnê de despedida.

"A parceria entre Mineirão e Skank já é de longa data. Quando soubemos da mobilização nas redes sociais da banda, ficamos muito felizes e planejamos uma live produzida com o mínimo de pessoas possível, seguindo todos os protocolos de saúde. Nada melhor do que um espaço amplo e ao ar livre, como o gramado, para garantir a segurança de todos", disse Ludmila Ximenes, responsável pelas relações institucionais do Mineirão.

Músicos do Instituto Baccarelli, que atua na favela de Heliópolis
Foto: Divulgação/Instituto Baccarelli

Parceria

Em 2006, o grupo teve um de seus shows abertos pela Orquestra Sinfônica Heliópolis. Em dezembro do ano passado, no palco do Theatro Municipal de São Paulo, Samuel Rosa fez uma participação solo com a Orquestra, doando seu cachê para o Instituto.

O diretor executivo do Instituto Baccarelli, Edilson Ventureli, disse que é um privilégio contar com o apoio do Skank. "A razão dessa parceria ter dado certo é que quando almas boas se encontram, elas se motivam. Quando você faz música com verdade, você faz arte com verdade e isso emociona não só a plateia como também cria uma conexão muito forte entre os artistas", disse.

O Baccarelli existe há 23 anos e proporciona aulas de instrumentos de cordas para jovens e crianças em Heliópolis, uma das maiores favelas de São Paulo e do Brasil. Neste momento volta sua atuação para  arrecadar alimentos, itens de higiene pessoal e limpeza para poder oferecer para as famílias do local.

"Essas doações podem ser feitas através de cestas básicas e doação de itens de higiene pessoal e limpeza. Também estamos arrecadando recursos financeiros que são convertidos em cartões vale-alimentação e estamos entregando para as famílias para complementar as cestas básicas. Isso é muito bacana, porque você dá autonomia para as famílias e fomenta o comércio local", disse Venturelli.