Bienal do Livro de SP é cancelada devido à Covid-19 e só volta em 2022

"Medida visa garantir a saúde e segurança dos visitantes, autores, expositores, parceiros e colaboradores", disse a Câmara Brasileira do Livro

Guilherme Venaglia e Leonardo Lopes, da CNN em São Paulo
19 de junho de 2020 às 16:45
Edição anterior da Bienal do Livro de São Paulo
Foto: Bienal do Livro de SP/Divulgação

A Câmara Brasileira do Livro (CBL) anunciou o cancelamento da edição de 2020 da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que aconteceria entre os dias 30 de outubro e 8 de novembro. A 26ª edição do festival, um dos mais importantes do cenário literário brasileiro, acontecerá agora apenas em 2022. 

Em nota, a CBL e a Reed Exhibitions atribuíram o adiamento em razão "da pandemia da Covid-19 e dos seus impactos". "A medida visa garantir a saúde e segurança dos visitantes, autores, expositores, parceiros e colaboradores. Esta é a principal preocupação diante da crise", diz o texto.

Assista e leia também:

Na Palma da Mari: '13 Reasons Why': precisamos falar sobre bullying e violência na adolescência

Emmy é confirmado para setembro com Jimmy Kimmel como apresentador

Por pandemia, Oscar de 2021 será adiado para abril

A decisão foi anunciada dois dias depois da desistência da Companhia das Letras, uma das maiores editoras do mercado. Na quarta-feira (17), a empresa se colocou à disposição da CBL para "atividades em defesa do livro e da leitura no Brasil", mas manifestou a sua preocupação com a realização de eventos de massa durante a atual crise de saúde pública.

A estimativa da Câmara do Livro é que a bienal receba em torno de 600 mil visitantes a cada edição. Para 2022, o presidente da entidade, Vitor Tavares, espera "oferecer novas formas de interação entre leitores, escritores e expositores para uma experiência ainda melhor".