A Vida em um Dia: Documentário colaborativo trará vídeos de usuários pelo mundo


Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
24 de julho de 2020 às 22:55
Life in a Day

Logo do projeto do documentário colaborativo Life in a Day ('A vida em um dia') 2020

Foto: Reprodução/YouTube

Em 2010, o diretor Kevin Macdonald, ganhador de um Oscar, pediu a milhares de pessoas ao redor do mundo que enviassem registros de momentos do que viveram no dia 24 de julho daquele ano. A coletânea resultou no documentário Life in a Day, lançado em 2011 e disponível gratuitamente no YouTube.

Dez anos depois, Macdonald e o produtor-executivo Ridley Scott fazem o mesmo pedido, em um projeto em parceria com a plataforma de vídeos do Google. "O primeiro foi uma declaração de como nós estávamos naquele momento e esse de como estamos agora", diz Scott, em vídeo de divulgação do projeto.

O dia escolhido é este sábado, dia 25 de julho de 2020. Os realizadores do filme receberão filmagens de todo o mundo. Não há obrigação de tratar do momento vivido pela humanidade, em meio à pandemia do novo coronavírus e a intenção é coletar tanto gravações sobre isso quanto sobre momentos íntimos.

"Você não precisa que eu te diga que esse ano está sendo fora do normal. Há tantas coisas importantes acontecendo ao redor do mundo e isso pode estar refletido no que filmar. Mas o que for mais interessante para você pode ser algo mais íntimo, mais pessoal", diz Macdonald, que reforça que "não quer o luxo das mídias sociais".

Assista e leia também:

Caçadores expõem abates ilegais na web enquanto Congresso debate liberar caça

Primeiro vídeo publicado no YouTube completa 15 anos; veja

O longa será exibido no Festival de Cinema de Sundance e disponibilizado também no YouTube. "Com este filme, esperamos que as pessoas possam olhar para trás e ver o que foi 2020", afirma o diretor.

Os vídeos serão recebidos pelo site oficial do projeto e deverão atender a alguns requisitos legais, em especial o direito de imagem de todos os que forem exibidos, com atenção especial para crianças e adolescentes, bem como não deverão ter música ou reproduzir obra protegida por direitos autorais.