Billie Eilish pede que EUA ‘votem como se nossas vidas dependessem disso'

Durante a terceira noite da Convenção Nacional Democrata dos EUA, artista afirmou que ‘silêncio não é uma opção’

Madeline Holcombe, da CNN
20 de agosto de 2020 às 10:06
A cantora norte-americana Billie Eilish durante discurso na Convenção Nacional Democrata
Foto: Reprodução - 19.ago.2020 / Reuters

Em sua participação na Convenção Nacional Democrata dos EUA, a cantora ganhadora do Grammy Billie Eilish lançou uma nova música e pediu aos norte-americanos que votem contra Donald Trump nas eleições de novembro.

Eilish, de 18 anos, cantou “My future” pela primeira vez durante o evento na noite dessa quarta-feira (19). Mas antes de cantar a parte “cause I'm in love with my future, can't wait to meet her" (estou apaixonada pelo meu futuro, mal posso esperar para conhecê-lo), ela pressionou por uma ação da população.

Assista e leia também:
De Billie Eilish a Megan Thee Stallion: 53 músicas recomendadas por Barack Obama
Eleições nos EUA: melhores e piores momentos da 3ª noite da Convenção Democrata
Eleições nos EUA: como a pandemia da Covid-19 mudou as convenções políticas

“Donald Trump está destruindo nosso país e tudo o que é importante para nós. Precisamos de líderes que vão resolver problemas como mudança climática e Covid-19, não negá-los, líderes que vão lutar contra o racismo sistêmico e a desigualdade. E isso começa votando em alguém que entende o quanto está em jogo, que está reunindo uma equipe que compartilha dos nossos valores”, disse a cantora. “Começa com um voto contra Donald Trump e a favor de Joe Biden.”

O ex-vice-presidente foi formalmente nomeado como candidato à presidência pelo Partido Democrata durante a segunda noite da convenção, na terça. Ontem, Kamala Harris foi oficialmente anunciada como a vice de Biden, tornando-se a primeira mulher negra indicada à vice-presidência por um grande partido. As eleições presidenciais nos EUA serão realizadas no dia 3 de novembro.

Eilish pediu que os norte-americanos mostrem apoio a Biden no dia da votação. “O silêncio não é uma opção e não podemos ficar de fora”, afirmou ela. “Temos todos que votar como se nossas vidas e o mundo dependessem disso, porque eles dependem. A única forma de ter certeza sobre o futuro é fazê-lo nós mesmos.”

Além da cantora, vários outros artistas se apresentaram na convenção deste ano, como John Legend, Jennifer Hudson, The Chicks, Leon Bridges, Billy Porter, Maggie Rogers, Prince Royce e Stephen Stills.

(Texto traduzido, clique aqui e leia o original em inglês.)