Com doação de R$ 20 mi, Museu Nacional soma metade da verba para reconstrução

A instituição, fundada por Dom João VI em 1818, recebeu hoje uma doação de R$ 20 milhões, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj)

Stéfano Salles, da CNN no Rio de Janeiro
19 de agosto de 2020 às 22:31
Palácio que abrigava o Museu Nacional, da UFRJ
Foto: Thiago Lontra/Alerj

Em ritmo lento, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) vai recebendo doações para reconstruir o Museu Nacional. A mais antiga instituição científica do país, foi quase toda consumida pelas chamas em um incêndio em setembro de 2018.

A instituição, fundada por Dom João VI em 1818, recebeu hoje uma doação de R$ 20 milhões, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Leia também:

Incêndio que destruiu Museu Nacional no RJ não foi criminoso, conclui PF

Lei autoriza repasse de R$ 20 milhões para reconstrução do Museu Nacional no RJ

A entrega simbólica do termo de doação foi realizada em uma solenidade externa da casa, na Quinta da Boa Vista, parque que abriga o edifício histórico, em São Cristóvão, bairro da Zona Norte da capital. 

Essa foi apenas a quinta instituição a doar para a reconstrução do Museu, que abrigava o maior e mais importante acervo de antropologia e história natural da América Latina, com direito a múmias e sarcófagos egípcios, além de fósseis de dinossauros. 

Até o momento, já doaram Vale, Unesco, BNDES, AGU e, agora, a Alerj, além de emendas parlamentares do Congresso Nacional. Foram levantados até o momento cerca de R$ 185 milhões, a metade dos R$370 milhões necessários para a obra. 

Presidente da Alerj, o deputado estadual André Ceciliano (PT) pediu maior mobilização do empresariado para esta empreitada.

“Poucas datas me marcaram tanto como o dia dois se setembro de 2018. Lembro da sensação quando vi as imagens pela televisão. Esse espaço não é só do Rio, mas do mundo. Precisamos agora que mais personagens entrem em ação”, afirmou.

Reitora da UFRJ, Denise Carvalho celebrou a importância da contribuição e explicou que o Palácio de São Cristóvão, onde ficava o museu, será dedicado a exposições. 

“Esses R$ 20 milhões, que serão usados para a recuperação de parte do telhado e da fachada do Palácio, fazem com que a UFRJ tenha, hoje, quase metade da verba necessária para toda a reconstrução do Museu Nacional. Ainda precisamos de mais aportes de recursos para que a gente possa, em 2025, entregar o Museu Nacional integralmente para a sociedade brasileira e, em 2022, possamos estar todos juntos aqui inaugurando uma parte do Museu, no ano do bicentenário da Independência”, afirmou a reitora.