Teatros e cinemas se adaptam para a retomada das atividades culturais


Da CNN, em São Paulo
25 de agosto de 2020 às 14:40 | Atualizado 25 de agosto de 2020 às 15:06

Já faz tempo que os palcos dos teatros não sabem o que é abrir suas cortinas para um espetáculo. Os estabelecimentos que promovem as atividades culturais estão fechados há mais de cinco meses por conta da pandemia de Covid-19. 

Após todo este tempo de portas fechadas, teatros e cinemas estão ensaiando uma retomada do setor cultural. No entanto, a abertura não é simples: os locais precisam adaptar suas estruturas para a retorno com segurança e dentro dos protocolos sanitários. 

O 'Teatro D' é o mais novo da capital paulista. Inaugurado no dia 26 de novembro do ano passado, só teve tempo de exibir duas peças. Com a paralisação, a gestão do local improvisou e montou uma livraria no espaço. Também foi criado um espetáculo no estacionamento do teatro, onde a plateia assiste do carro.

Leia também: 

Doria antecipa abertura de cinemas, teatros e academias

Teatros da Broadway não reabrirão em 2020

Estes são os filmes que você deveria assistir quando os cinemas reabrirem

Assentos de teatro

Assentos de teatro

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Com a possibilidade de reabertura dos espaços culturais como os teatros, o local já iniciou a adaptação aos protocolos. O lugar já segue à risca os critérios de segurança e higiene previstos, pretende ajustar os útlimos detalhes após a divulgação do protocolo pela prefeitura de São Paulo.

No cinema, a experiência de assistir a um filme vai ter muitas mudanças, a começar pela entrada nas salas das unidades -- respeitando o distanciamento social. No Brasil existem 3.600 salas de cinema. Só em São Paulo há pelo menos 1.200. De março a julho de 2019, as bilheterias de cinema no Brasil arrecadaram mais de R$1 bilhão e levaram quase 70 milhões de espectadores às salas.

Agora, o limite máximo de pessoas dentro de uma sala de cinema será monitorado, de acordo com os protocolos. As famílias ou casais poderão se sentar juntos, mas terão de manter o distancionamento social das demais pessoas que estiverem acompanhando o filme.

(Edição: Marina Motomura)