Broadway estende fechamento de teatros até maio de 2021; artistas pedem socorro

Um dos principais chamarizes de Nova York está fechado desde março devido à pandemia

Reuters
09 de outubro de 2020 às 16:56 | Atualizado 09 de outubro de 2020 às 18:03

Os teatros da Broadway prorrogaram nesta sexta-feira (9) o fechamento causado pela pandemia do novo coronavírus até o final de maio de 2021, o que manterá uma das maiores atrações turísticas da cidade de Nova York de portas fechadas por mais de um ano e adiará uma reencenação do musical "The Music Man" para 2022.

Os teatros da Broadway apagaram as luzes em meados de março, quando a pandemia atingiu a cidade, e datas de reabertura foram sendo adiadas sem que se vislumbrasse uma maneira de montar espetáculos em locais fechados com plateia e proteção a atores e equipes de bastidores.

Os produtores de "The Music Man", que esperavam estrear a nova versão com o ator Hugh Jackman em maio de 2021, disseram nesta sexta-feira que adiaram a abertura do show para fevereiro de 2022.

Leia também:

Após paralisação da Broadway, musical 'Frozen' sai de cartaz permanentemente

Seguro de espetáculo na Broadway fica mais raro que ingresso para estreia

Homem transita em frente ao Teatro Richard Rodgers, que está fechado, e é palco do popular musical "Hamilton", na Broadway
Foto: Mike Segar/Reuters (2.jul.2020)

A Associação pela Igualdade entre Atores considerou a prorrogação do fechamento devastadora e voltou a apelar por uma estratégia nacional de realização de exames e por ajuda do governo às artes.

"Fico de coração partido por todos os que trabalham na Broadway ou contam com ela para ganhar a vida", disse Mary McColl, diretora-executiva do sindicato, em um comunicado.

"Gente demais do setor precisa de ajuda agora, já que encaramos outros seis meses sem trabalho", acrescentou.

Trinta e um espetáculos estavam em cartaz na Broadway quando o fechamento entrou em vigor. Alguns, como a versão teatral da animação "Frozen", da Disney, informaram que não reabrirão.

Brad Hoylman, senador do estado de Nova York, pediu ajuda financeira aos teatros, dizendo em um comunicado nesta sexta-feira que 100 mil nova-iorquinos dependem da Broadway para suas rendas e que o setor contribui com 14,7 bilhões de dólares para a economia da cidade de Nova York, além das vendas de ingresso.