Morre o escritor John le Carré, famoso por romances de espionagem

Autor de best-sellers como "O Espião que Sabia Demais" e "O Espião que Saiu do Frio", John le Carré chegou a trabalhar para a Inteligência Britânica

Da CNN, em São Paulo
14 de dezembro de 2020 às 00:21 | Atualizado 14 de dezembro de 2020 às 06:30


 

O escritor britânico de romances de espionagem mais vendido na atualidade, David Cornwell - conhecido mundialmente como John le Carré - morreu no último sábado (12), aos 89 anos, segundo seu agente literário informou neste domingo.

A família de Le Carré disse em um comunicado que ele morreu de pneumonia. O escritor deixa sua esposa, Jane, e quatro filhos.

"Eu representei David por quase 15 anos. Perdi um mentor, uma inspiração e, o mais importante, um amigo", disse Jonny Geller, CEO da agência literária The Curtis Brown Group. "Não veremos alguém como ele de novo."

Leia também:
Mudança de Hábito 3 trará Whoopi Golberg de volta ao papel principal

O escritor David Cornwell, mais conhecido como John le Carré
Foto: The Curtis Brown Group/ Reprodução


Descrito por Geller como um "indiscutível gigante da literatura inglesa", le Carré escreveu 26 livros que foram publicados em mais de 50 países e 40 idiomas, de acordo com seu site oficial.

Le Carré nasceu em 1931 e frequentou as universidades de Bern e Oxford. Ele também serviu brevemente na Inteligência Britânica durante a Guerra Fria.

Seus trabalhos mais famosos duraram cerca de seis décadas e incluíram "O Espião que Saiu do Frio", que foi publicado em 1963 e fez de Le Carré "o escritor de espionagem mais famoso do mundo", disse Geller.

Le Carré também escreveu "O Espião que Sabia Demais" e outras obras de sucesso mundial.

Diversos autores recorreram às redes sociais para lamentar a morte de Le Carré.

"Este ano terrível conquistou um gigante literário e um espírito humanitário", tuitou Stephen King.

O historiador e escritor britânico Simon Sebag Montefiore twittou que estava "de coração partido" com a morte de Le Carré, chamando-o de "titã da literatura inglesa" que estava com os grandes nomes.

O ator e escritor britânico Stephen Fry tweetou que não conseguiu nomear um escritor contemporâneo que lhe deu mais "prazer rico" do que Le Carré.

"Suponho que o melhor que se pode fazer para honrar sua grande vida e talento é reler todos os seus livros", escreveu Fry. "O oposto de uma tarefa árdua."

(Com informações de Por Amir Vera e Dan Wright, da CNN; e  Kanishka Singh, da Reuters)