Velório de Nicette Bruno será ao ar livre e terá restrição de pessoas presentes

Pedro Duran, Isabelle Saleme e Isabelle Resende, da CNN, no Rio
20 de dezembro de 2020 às 21:49 | Atualizado 21 de dezembro de 2020 às 11:56

A despedida a uma das maiores atrizes da história da televisão e do teatro brasileiros será rápida e enxuta para obedecer os protocolos sanitários determinados pela Anvisa para vítimas da Covid-19.

A atriz será velada e cremada no cemitério da Penitência, no bairro do Caju, no Rio de Janeiro, cidade onde vivia. O corpo da atriz chegará por volta das 11h e será cremado às 13h30. A partir das 13h, uma cerimônia de despedida será realizada.

Leia e assista também:
'Brasil perde dama do teatro': veja repercussões após a morte de Nicette Bruno
Legado de Nicette Bruno foi a sua própria existência, diz Antonio Fagundes
Ícone da dramaturgia, Nicette Bruno não pensava em se aposentar
De Éramos Seis a Dona Benta: os principais papeis de Nicette Bruno

Para as vítimas de Covid-19, o cemitério sugere à família que os velórios tenham “o mínimo possível” de presentes. A despedida dura apenas 30 minutos e é realizada com caixão lacrado ao ar livre, sob tendas e com uso obrigatório de máscaras.

O uso de visor de vidro para o caixão não é recomendado para vítimas de Covid-19, até porque a praxe nesses casos é que o corpo seja embalado com proteção plástica pra evitar qualquer chance de propagação do vírus.

A família é orientada a chegar entre 60 e 30 minutos de antecedência da cerimônia pra que não haja aglomerações e o horário é agendado entre funerária e cemitério.

“Uma das atrizes mais amadas do Brasil, Nicette merecia um velório aberto aos seus fãs e imprensa, no entanto, estamos ainda passando por um cenário de pandemia e lamentamos muito não poder liberar o acesso à área onde o seu corpo estará em companhia dos familiares”, diz o cemitério em nota.

Depois da cerimônia as cinzas serão levadas para o jazigo da família, onde está enterrado Paulo Goulart, no cemitério da Consolação, em São Paulo. O ator morreu em 2014, vítima de um câncer. Ele e Nicette foram casados por quase 60 anos.