Ricardo Teixeira diz que problemas de saúde anteciparam sua saída da CBF


Da CNN Brasil, em São Paulo
14 de março de 2020 às 11:30 | Atualizado 15 de março de 2020 às 18:05

Trinta e oito quilos mais magro, o ex-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol)  Ricardo Teixeira reconhece em entrevista exclusiva à CNN Brasil o estado mais frágil de sua saúde. “Eu tinha 104 kg. Hoje estou com 66 kg. É uma consequência do transplante de rim. Por menos que você queira, tem que limitar as suas comidas, a sua estrutura.”  

O transplante de rim aconteceu em outubro de 2013, um ano e meio depois da renúncia à presidência CBF, alegando problemas de saúde. Durante os 23 anos em que esteve à frente da entidade, ele acumulou mais de 100 títulos, incluindo duas Copas do Mundo de futebol masculino e a transformou em uma grande máquina de ganhar dinheiro.

Assista e leia também

'Me perseguiram por vingança. O Bill Clinton é vingativo'

'Sandrito, não. Chamava ele de Sandrinho', diz Teixeira sobre Sandro Rosell

Parte desse dinheiro, segundo muitas acusações, teria ido parar no bolso do cartola. No dia em que renunciou, 12 de março de 2012, Ricardo Teixeira já tinha sido investigado por uma Comissão Parlamentar de Inquérito no Congresso Nacional, pela Polícia Federal, pelo Ministério Público e até por autoridades americanas.   

Ele nega, entretanto, que as investigações anteciparam sua saída da presidência da entidade — programada para acontecer em 2015. "Eu considero a sua pergunta uma falta de respeito. Desde o início eu falei que saí porque estava à morte, porque eu tive que fazer um transplante de rim. Ou talvez eu tenha inventado esse transplante também.” 

Teixeira é categórico em afirmar que a decisão se deveu à questão de saúde. "Eu já estava com problema no rim desde 2011. Foi quando eu mudei para os Estados Unidos, porque eles falaram que eu tinha que fazer transplante" 

Assista e leia também

Ninguém queria ir para Brasília após o penta, diz Teixeira sobre visita a FHC

Trajetória de Teixeira na CBF foi marcada por conquistas e denúncias

O cartola, que acumula 40 anos de vida pública e experimentou o gosto do poder, é reservado ao falar de sua vida pessoal. Considera-se casado com Daniela, mas o amor entre os dois é cheio de mistérios. Ela não revela a idade e ele não quer dizer como se conheceram.  

“É uma grande companheira. Ela é uma pessoa fantástica, me ajudou muito. É muito enfermeira minha”, afirmou Teixeira, acrescentando que está com Daniela “há algum tempo”. O casal vive há cerca de um mês em um condomínio de luxo em um dos endereços mais valorizados da cidade do Rio de Janeiro.