Por COVID-19, Canadá não enviará atletas para Olimpíada e Paralimpíada em 2020


Da CNN, em São Paulo
23 de março de 2020 às 01:23 | Atualizado 23 de março de 2020 às 04:17
Chama olímpica chega ao Japão para Jogos de Tóquio 2020

Os medalhistas de ouro olímpicos Tadahiro Nomura e Saori Yoshida posam depois de acender a chama olímpica, ao lado de Yoshiro Mori, presidente do comitê organizador das Olimpíadas de Tóquio 2020

Foto: Issei Kato/ Reuters

Como medida de precaução diante do crescimento de casos do novo coronavírus (COVID-19) no mundo, o Canadá anunciou que não enviará atletas aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio, se for mantido o cronograma de realizar os eventos entre julho, agosto e setembro de 2020. Na mesma noite, o Comitê Olímpico Australiano recomendou que seus atletas se "preparem para Jogos em 2021".

"Embora reconheçamos as complexidades inerentes ao adiamento, nada é mais importante do que a saúde e a segurança de nossos atletas e da comunidade mundial", diz o comunicado divulgado na noite deste domingo (22) pelo Comitê Olímpico Canadense e do Comitê Paraolímpico do Canadá.

Embora alguns órgãos esportivos já tenham se manifestado a favor do adiamento dos Jogos — postura defendida, por exemplo, pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) —, a entidade canadense é a primeira a anunciar oficialmente um boicote no caso da realização do evento seguindo o cronograma original. 

A ameaça e os riscos do coronavírus criam um ambiente inseguro para os atletas, suas famílias e a comunidade canadense em geral, afirmouo comunicado.

"Estamos no meio de uma crise global de saúde que é muito mais significativa que o esporte", diz o Comitê Olímpico Canadense.