'Espero que seu filho pegue coronavírus'; jogador é atacado por criticar treinos

Troy Deeney é pai de um bebê de cinco meses, que nasceu prematuro e possui problemas respiratórios, e está se opondo à retomada do futebol na Inglaterra

Matias Grez, Darren Lewis e Aleks Klosok, da CNN
27 de maio de 2020 às 23:54 | Atualizado 28 de maio de 2020 às 10:37
O atacante Troy Deeney, durante jogo do Watford
Foto: Troy Deeney Twitter/Divulgação

O atacante inglês Troy Deeney, capitão do Watford, afirmou em entrevista à CNN que está sofrendo assédios na rua e pela internet após expressar preocupações a respeito dos planos da Premier League, a primeira divisão do Campeonato Inglês, para reiniciar a temporada em meio à pandemia do novo coronavírus.

Deeney afirmou que pessoas estão lhe desejando pela internet que seu filho de cinco meses de idade, que nasceu prematuramente e tem problemas respiratórias, fique doente, enquanto pessoas na rua o cobram para "voltar a trabalhar". "Eu vi alguns comentários a respeito do meu filho, pessoas dizendo: 'Eu espero que seu filho pegue o coronavírus'", afirmou o jogador.

"Essa é a parte difícil para mim. Se eu responder, logo vão pensar: 'Ah, conseguimos atraí-lo'. E vão continuar fazendo isso", disse. Os clubes ingleses votaram anonimamente para retomar os treinos com contato, o segundo estágio do Protocolo de Retorno aos Treinos da liga, enquanto a Premier League anunciou posteriormente que quatro jogadores e funcionários de três clubes testaram positivo para a Covid-19.

Assista e leia também:

RJ: clubes se dividem sobre retorno; Botafogo e Flu querem impugnar arbitral

Com flexibilização de quarentena, europeus fazem cronograma de volta do futebol

Troy Deeney foi um dos jogadores de alto nível que publicamente questionou o possível retorno e disse que recebeu, de forma privada, apoio pelas suas posições. No entanto, ele acredita que a reação que ele e outros jogadores que se pronunciaram receberam levará outros jogadores a se sentirem temerosos de se expressar abertamente.

"Em um momento onde tudo é sobre saúde mental e todos dizem 'se manifeste, fale, se expresse', Danny Rose [lateral-esquerdo do Newcastle] falou... e eu falei e nós fomos criticados e maltratados por isso", se queixou Deeney, em referência a outro jogador que também manifestou posição semelhante.

"Então, as pessoas veem e falam: 'Woah', não somos apenas nós que pensamos isso, a senhora recebe mensagens diretas e nós vamos estar andando nas ruas e as pessoas vão dizer: 'Eu estou trabalhando, você também deve voltar'.