Hamilton vence GP da Espanha e se torna recordista de pódios da F1

Inglês ficou entre os 3 primeiros colocados pela 156ª vez e superou Michael Schumacher; com 88 vitórias, ele está a 3 do recorde de triunfo do alemão

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
16 de agosto de 2020 às 12:17 | Atualizado 16 de agosto de 2020 às 13:44
Hamilton venceu o GP da Espanha de F1 e conquistou seu 156º pódio, novo recorde
Lewis Hamilton venceu o GP da Espanha de F1 e conquistou seu 156º pódio, novo recorde da categoria
Foto: Reprodução/ MercedesAMGF1/ Twitter

Lewis Hamilton, hexacampeão de Fórmula 1, venceu o Grande Prêmio da Espanha pelo quarto ano consecutivo neste domingo (16), chegando ao recorde de 156 pódios na carreira e ampliando sua liderança no campeonato para 37 pontos.

Hamilton, que conquistou a pole position, venceu a corrida de ponta a ponta e chegou ao seu 88ª triunfo na categoria, ficando a apenas três vitórias do recorde de Michael Schumacher, de 91 vitórias.

Leia também:
Dovizioso vence etapa da Áustria de MotoGP em prova marcada por acidente grave
Verstappen quebra hegemonia da Mercedes e vence GP dos 70 anos da Fórmula 1

Max Verstappen, da Red Bull, um dos principais adversários de Hamilton no campeonato, terminou em segundo no Circuito da Catalunha. Valtteri Bottas, da Mercedes, ficou em terceiro – o finlandês fez a volta mais rápida da corrida, em 1:18.183, e quebrou o recorde da pista.

"Eu estava em uma zona diferente – nem percebi que era a última volta", disse Hamilton depois de terminar 24,177 segundos à frente de Verstappen, que largou em terceiro, mas tomou o segundo lugar de Bottas no início.

Verstappen superou Bottas nas últimas quatro corridas, mas ficou atrás de Hamilton em três delas – na semana passada, o jovem piloto holandês superou a hexacampeão e venceu o GP dos 70 anos da F1, em Silverstone.

Classificação no campeonato

Com os resultados deste domingo, Hamilton lidera o campeonato de pilotos, com 132 pontos, seguido por Verstappen, com 95, e Bottas, com 89. 

Na parte mais disputada da tabela, Charles Leclerc, da Ferrari, aparece em 4º (45 pontos), Lance Stroll, da Racing Point, está em 5º (40), Alexander Albon, da Red Bull, é o 6º (também com 40 pontos) e Lando Norris, da McLaren, está em 7º, com 39 pontos.

Assista e leia também:
Guia da F1 2020: Mercedes e Hamilton são favoritos em temporada encurtada
São Paulo perde evento de R$ 360 milhões com cancelamento da Fórmula 1

Já no campeonato de construtores a Mercedes acumula 221 pontos e lidera com muita folga para a Red Bull, que tem 135. A disputa pela terceira posição, no entanto, está acirrada. A Racing Point aparece com 63 pontos, seguida por McLaren, com 62, e pela Ferrari, com 61.

Depois de vários fins de semanas seguidos de corridas, a F1 fará agora um intervalo de duas semanas antes da próxima etapa, marcada para os dias 28, 29 e 30 de agosto no clássico circuito de Spa-Francorchamps, na Bélgica.

Vitória brasileira da F2

Felipe Drugovich comemora vitória do Grande Prêmio da Espanha de F2
Felipe Drugovich comemora vitória do Grande Prêmio da Espanha de F2, sua segunda na temporada 2020
Foto: Reprodução/ fiaformula2.com

Também neste domingo em Barcelona, o brasileiro Felipe Drugovich venceu sua segunda corrida no ano na temporada da Fórmula 2. O piloto da MP Motorsport terminou a prova mais de 9 segundos à frente de Luca Ghiotto. Mick Schumacher, filho de Michael Schumacher, completou o pódio.

“Foi uma corrida incrível para mim. Comecei em segundo, mas passei Luca na curva 1. Depois disso, o carro esteve incrível, basicamente, o mesmo de ontem”, disse Drugovich, em declarações ao site oficial da categoria.

“Uma pena não termos podido aproveitar nosso ritmo ontem por causa do Safety Car (...) mas este resultado de hoje compensa o de ontem e estou muito feliz, e feliz pelo time, porque demos um grande passo à frente neste fim de semana.”

Com o resultado, Drugovich subiu para 8º no campeonato de pilotos, com 67 pontos. O britânico Callum Ilott lidera a disputa com 121 pontos, seguido pelo russo Robert Shwartzman, que tem 103.

(Com informações da Reuters)