Lewis Hamilton fala sobre solidão e 'dias difíceis'


Ben Church, da CNN
04 de setembro de 2020 às 16:53
O piloto inglês Lewis Hamilton - 12/3/2020

O piloto inglês Lewis Hamilton

Foto: Tracey Nearmy/Reuters (12.mar.2020)

O piloto da Fórmula 1 Lewis Hamilton falou sobre suas dificuldades em relação à saúde mental, admitindo que tem "muitos dias difíceis" e sofre de solidão enquanto está competindo. 

O campeão mundial por seis vezes postou uma mensagem emocionada em suas redes sociais nesta semana, explicando dois lados bastante diferentes de si — um deles, o "corredor faminto e competitivo", que as pessoas veem na televisão, e o outro, um homem "tentando descobrir a vida, dia após dia".

Ele também disse estar sofrendo durante a pandemia e achando difícil lidar com o sistema de bolha adotado para a retomada do esporte.

"Você fica solitário, sente saudade de seus amigos e familiares, e com semanas com corridas de cabo a rabo significa que não há muito tempo para nada além de trabalho", escreveu.

Leia também:

Lewis Hamilton critica F1 por ‘falta de liderança’ no combate ao racismo

Após ida de Hamilton a protestos, Mercedes pinta carro de preto contra racismo

"Então sou grato por aqueles mais próximos de mim que estão me ajudando a manter o equilíbrio, mesmo que seja apenas por mensagens, telefone ou FaceTime".

"Acho que o que estou tentando dizer é que nunca é uma coisa ruim pedir ajuda se você precisar, ou dizer a alguém como você está se sentindo. Mostrar o seu lado vulnerável não te faz fraco, ao invés disso, eu gosto de pensar que é uma chance de se tornar mais forte". 

O motorista da Mercedes venceu cinco das sete corridas desde que o esporte retornou com um calendário ajustado após o lockdown. Ele está atualmente em Monza para o Grande Prêmio da Itália neste fim de semana.

Quando questionado sobre os comentários que fez sobre solidão e saúde mental, Hamilton disse que estava somente tentando dizer a seus fãs a verdade. 

"Eu acho que, como competidores, não é a primeira coisa que você pensa em fazer, se abrir e se expressar", disse ele aos repórteres durante uma entrevista coletiva. "Mas eu acho que é muito importante, mais importante do que o que está acontecendo aqui". 

O atleta de 35 anos, que tem sido um apoiador expressivo do movimento Vidas Negras Importam nos últimos meses, já havia falado sobre o assunto outras vezes.

Em outubro do ano passado, ele publicou uma série de mensagens nas redes sociais dizendo que tinha vontade de "desistir de tudo" com o mundo estando "uma bagunça". 

Hamilton está a duas vitórias de se igualar ao recorde de seu herói Michael Schumacher de 91 vitórias durante a carreira.

(Texto traduzido, leia o original em inglês)