Ansu Fati bate o recorde de 95 anos e se torna artilheiro mais jovem da Espanha


Ben Church, da CNN
08 de setembro de 2020 às 05:04
Ansu Fati em atuação pela seleção espanhola

Ansu Fati em atuação pela seleção espanhola

Foto: Instagram/ Reprodução

O jogador Ansu Fati se tornou-se o mais jovem a marcar um gol pela seleção da Espanha. O feito aconteceu no domingo (6) durante a vitória de 4-0 do seu país sobre a Ucrânia na UEFA Nations League. Com apenas 17 anos e 311 dias, o atacante do Barcelona quebrou o recorde estabelecido há 95 anos por Juan Errazquin - que marcou seu primeiro gol pela seleção aos 18 anos e 344 dias.

Fati fez história ao marcar o terceiro gol da seleção na partida, coroando um jogo sensacional para o jovem – o placar foi aberto nos primeiros minutos após um pênalti sofrido pelo adolescente e convertido por Sergio Ramos.

“Embora eu o conheça bem e saiba do que Fati é capaz, mesmo assim estou surpreso”, disse o técnico da Espanha, Luis Enrique, aos repórteres após o jogo.

“Ele mostrou muita coragem e ousadia para fazer o que fez no segundo minuto do jogo, driblando um jogador com tanta naturalidade [e sofrendo o pênalti]. Não me lembro de ele já ter feito algo assim antes”.

Leia também:
Mbappé testa positivo para Covid-19, segundo mídia francesa

Messi volta a treinar no Barcelona após desistir de rescindir contrato com clube

Novo Messi?

Apesar de o zagueiro Sergio Ramos ter marcado dois gols no jogo, o adolescente Fati foi o destaque da partida.

O atacante – também o artilheiro mais jovem do Barcelona na La Liga e o jogador mais jovem a marcar na Liga dos Campeões – foi um estorvo constante para a defesa da Ucrânia com suas largadas súbitas e seus dribles.

A novidade, agora, é perguntar se o jovem pode entrar no lugar da lenda Lionel Messi no clube de ambos.

O argentino queria deixar o Barcelona este ano, mas concordou com certa relutância em ficar.

Mesmo com a permanência de Messi, Fati terá a chance de se firmar na próxima temporada com o clube, que hoje busca de renovar o time titular e focar no futuro.

“Nesta idade, dá para imaginar que todos os elogios sobem à cabeça facilmente, mas ele é maduro o suficiente para saber que o caminho que

está trilhando no momento é aquele que ele precisa seguir para se desenvolver como jogador”, acrescentou o técnico da Espanha.

“Ele é humilde, é calmo e tenho certeza de que isso não o afetará”.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)