STJD do vôlei inocenta jogadora Carol Solberg por manifestação política

Artigo usado para condenar atleta previa multa de até R$ 100 mil

Carolina Figueiredo, da CNN
16 de novembro de 2020 às 22:23 | Atualizado 16 de novembro de 2020 às 22:23
A jogadora de vôlei Carol Solberg
Foto: Divulgação/CBV (17.ago.2018)


O Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Voleibol (STJD) inocentou, nesta segunda-feira (16), a jogadora de vôlei de praia Carol Solberg por uma manifestação política feita em setembro deste ano.

Na ocasião, Solberg disse "Fora Bolsonaro" após uma partida do Campeonato Brasileiro de Vôlei. Em outubro, o STJD condenou a jogadora por, segundo eles, descumprir regulamento do Código Brasileiro de Justiça Desportiva com a frase.

Leia também:

Carol Solberg é advertida pelo STJD do vôlei por se manifestar politicamente

O Grande Debate: Punição à jogadora de vôlei Carol Solberg é correta ou censura?

“Ela não deveria ter expressado aquilo. Ninguém quer podar a opinião dela, o problema é o local que foi, a maneira que foi empregado. Ela manifestou o que ela estava sentindo contra o governo, que não deveria ter feito”, disse o presidente da primeira comissão disciplinar, Otacílio de Araújo, durante a sessão que condenou a jogadora.

O artigo utilizado para condenar Solberg previa uma multa entre R$ 100 e R$ 100 mil, mas foi revertido em advertência. A defesa da atleta recorreu à decisão da 1ª Comissão Disciplinar, que foi revogada nesta segunda (16).

"Isso tudo que aconteceu é um passo importante para refletirmos sobre o lugar do atleta. Isso é sobre liberdade de expressão. E sabemos o quanto ela tem estado em risco. Ser absolvida significa ter o meus direitos garantidos e, quem sabe, encorajar mais atletas a se engajarem no que acreditam e no que é necessário enquanto sociedade", disse Solberg à CNN.

A jogadora afirmou que, no Brasil, atletas também devem ser voz de alerta para as injustiças sociais. "Temos muita força e precisamos usá-la de forma consciente", afirma.