Waack: Mito de Maradona continuará vivo entre seus fãs

Mais do que um jogador genial e autor de gols memoráveis, Maradona foi um mito extraordinário enquanto homem, figura e personalidade

Da CNN
26 de novembro de 2020 às 09:21

No quadro CNN Poder desta quinta-feira (26), na CNN Rádio, William Waack comenta a morte de Maradona e explica porque, como um mito do futebol, sua figura continuará viva entre seus fãs.

“Eu vi o Maradona jogar. Tive esse privilégio. No caso do Maradona, o que mexe com a gente é esse mito extraordinário do homem, da figura, da personalidade Maradona. O que é o mito? É aquilo que vem de dentro de nós porque fala conosco de uma maneira que a gente nem sabe explicar. Esse é bem o caso do Maradona”, afirmou Waack.

Ele relembrou que Fidel Castro e Hugo Chávez eram alguns dos ídolos do Maradona. “São figuras míticas – isso é uma constatação –, vocês não precisam gostar ou detestar os dois.”

Assista e leia também:
Fãs se despedem de Maradona na Argentina
Vaticano chama Maradona de 'poeta do futebol' e diz que Papa ora por ele
Autópsia preliminar indica que Maradona morreu por insuficiência cardíaca aguda

“Em uma entrevista, o Maradona perguntou ao Fidel porque ele dizia que os latinoamericanos "poderiam ser tudo e acabaram não sendo nada". Ali tem uma tradução da nossa cultura latino-americana, de esperar que a gente seja sempre algo mais, que a gente acaba não sendo”, continuou.

“Maradona é muito mais, nesse sentido, do que um jogador de futebol genial, autor de gols memoráveis e inesquecíveis. Ele é um grande pedaço do que nós somos, como encaramos o mundo, como sentimos o mundo”, opinou o jornalista.

“A gente vive o mito. E no caso de Maradona, é o mito que vai continuar vivendo dentro de nós.”