Palmeiras e Santos fazem primeira final brasileira na Libertadores desde 2006

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
13 de janeiro de 2021 às 21:16 | Atualizado 14 de janeiro de 2021 às 10:45

Pela primeira vez em 14 anos, o futebol brasileiro volta a ter dois de seus representantes decidindo a Copa Libertadores da América.

O Santos se classificou para a decisão ao bater o Boca Juniors por 3 a 0 nesta quarta-feira (13), na Vila Belmiro, após um empate sem gols no jogo de ida. O adversário será o Palmeiras, que perdeu em casa para o River Plate por 2 a 0 na véspera, mas se garantiu pela vitória elástica na ida na Argentina.

A última edição da Libertadores em que dois times brasileiros disputaram a final foi a de 2006, quando o Internacional foi campeão vencendo o São Paulo. No ano anterior, o mesmo havia acontecido, com o tricolor paulista levando a taça ao bater o Athlético-PR.

Pelo segundo ano consecutivo, o confronto será disputado em jogo único. A partida está marcada para um sábado, dia 30 de janeiro, no Estádio do Maracanã. Em razão da pandemia da Covid-19, o jogo não terá a presença de público.

No ano passado, o primeiro no novo modelo, o Flamengo foi campeão vencendo o River Plate na final, disputada no Estádio Monumental, em Lima, no Peru.

Foto: Reprodução/ Santos Futebol Clube

A garantia de um campeão brasileiro assegura uma ampliação da vantagem do Brasil para as demais nações que disputam a competição. A Libertadores de 2020 será a 20ª conquistada por um clube brasileiro, contra 14 títulos do futebol argentino e nove do chileno, os próximos na listagem. 

Uma outra curiosidade da final deste ano é que, caso o Palmeiras seja campeão, será o segundo título seguido de um técnico português na Libertadores. Na conquista de 2019, o rubro-negro carioca era treinado por Jorge Jesus. Hoje, o alviverde paulista é dirigido pelo também lusitano Abel Ferreira.

Do lado da Vila Belmiro, o técnico Cuca já venceu a Libertadores uma vez. O atual treinador do Santos levantou a taça em 2013, quando treinava o Atlético-MG. 

Em atualização