Palmeiras e Santos fazem reconhecimento de gramado do Maracanã para final

Coletiva com técnicos e capitães dos dois times teve tom amigável na véspera da primeira final 100% brasileira desde 2006

Everton Souza e Stéfano Salles, da CNN, no Rio de Janeiro
29 de janeiro de 2021 às 21:19 | Atualizado 29 de janeiro de 2021 às 22:51


 

 

Palmeiras e Santos fizeram nesta sexta feira (29) o trabalho de reconhecimento do gramado do Maracanã, palco da grande final da Libertadores da América, neste sábado (30).

Será a segunda vez na história que a competição terá final em jogo único. A primeira foi em 2019 em Lima, no Peru, quando o Flamengo venceu o River Plate da Argentina por 2 a 1 e conquistou seu segundo título. 

Antes do trabalho de reconhecimento do gramado, os dois treinadores concederam uma entrevista coletiva ao lado dos capitães. Abel Ferreira e o zagueiro Gustavo Gomez pelo Verdão; Cuca e o volante Alisson pelo Peixe.

Final da Libertadores Santos e Palmeiras

Jogadores da equipe do Santos fizeram reconhecimento do gramado do Maracanã, Zona Norte do Rio, nesta sexta-feira (29), para a final da Libertadores da América 2020 contra a equipe do Palmeiras.

Foto: Delmiro Júnior/Agência O Dia/Estadão Conteúdo

Questionado sobre a pressão em disputar uma final, o treinador Abel Ferreira, que pode ser o segundo técnico português consecutivo a conquistar a competição, fez referência ao momento de pandemia para responder a pergunta: 

"Quando falamos em pressão, pressão é o enfermeiro que está lá, o médico que está lá, está a levar com algo que pode tirar a vida, isso que é pressão. O que sentimos aqui é uma pressão diferente. Essa que é a verdadeira pressão, quando estamos falando de vida ou morte, completa", afirmou.

Pelo lado do Santos, Cuca descontraiu ao lembrar o currículo e a juventude do treinador rival, de 42 anos: "O Abel Ferreira é um excelente técnico e com certeza terá muitos títulos na carreira quando tiver a minha idade (57). Só tomara que ele comece a ganhar títulos depois do jogo deste sábado", disse, enquanto ria.

Essa é a terceira final entre clubes brasileiros da história da competição continental. Em 2005 o São Paulo foi campeão em cima do então Atlético Paranaense. No ano seguinte foi a vez do Internacional de Porto Alegre bater o São Paulo. 

Na decisão deste sábado, o Palmeiras tenta o segundo título da competição, e o Santos vai em busca da quarta conquista. As duas equipes se enfrentam às 17h neste sábado. Em caso de empate no tempo normal, prorrogação. Se a igualdade persistir, a decisão vai para as cobranças de pênaltis.

O vencedor vai disputar o Mundial de Clubes, previsto para ocorrer entre os dias 4 e 11 de fevereiro, no Catar. O campeão da Libertadores será o dono da última vaga da competição, que já conta com Bayern de Munique (Alemanha), Ulsan Hyundai (Coreia do Sul), Al-Ahly (Egito), Tigres (México) e Al-Duhail (Catar). O Auckland City, da Nova Zelândia, campeão da Oceania, desistiu da competição por causa da pandemia.