Ex-atleta Seiko Hashimoto é a nova chefe da organização da Olimpíada de Tóquio

Ex-patinadora e ex-ciclista, hoje com 56 anos, Hashimoto era até então ministra dos Jogos Olímpicos

Por Sakura Murakami e Elaine Lies, da Reuters
18 de fevereiro de 2021 às 05:17 | Atualizado 18 de fevereiro de 2021 às 08:07

 A ex-atleta olímpica japonesa Seiko Hashimoto divulgou nesta quinta-feira (18) que foi escolhida como nova presidente do Comitê Organizador de Tóquio 2020, substituindo o ex-ministro Yoshiro Mori, que renunciou depois de causar furor com comentários sexistas.

Ex-patinadora e ex-ciclista, hoje com 56 anos, Hashimoto era até então ministra dos Jogos Olímpicos e anunciou que se junta ao Comitê Organizador dos Jogos pouco depois de apresentar sua renúncia como ministra ao premiê Yoshihide Suga, que a encorajou a tornar as Olimpíadas um sucesso.

 

"Eu, Seiko Hashimoto, fui escolhida como chefe do Comitê Organizador das Olimpíadas e Paraolímpicas de Tóquio", disse a ex-atleta em uma reunião na qual foi escolhida como a nova chefe.

"Como estou assumindo uma responsabilidade tão grande, sinto que preciso me preparar."

Mori, 83, anunciou ao cargo de presidente de Tóquio 2020 na semana passada depois de dizer que as mulheres falam demais. Sua saída impôs mais uma divulgada na organização do evento.

Hashimoto agora enfrentará uma série de problemas, incluindo assumir o comando de um dos maiores eventos esportivos do mundo, faltando menos de meio ano para seu início, bem como garantir que os atletas e oficiais estejam protegidos contra o coronavírus.

Nascida dias antes do Japão sediar os Jogos de verão de 1964, Hashimoto participou de quatro Jogos Olímpicos de Inverno como patinadora de velocidade e três Jogos Olímpicos de Verão como ciclista.

Ligada ao partido governante do Japão, Hashimoto serviu como ministra das Olimpíadas desde 2019.