Representante da CBF será ouvido pelo MPT na próxima segunda-feira (14)

Procedimento instaurado no MPT tem como objetivo verificar como é a relação de Rogério Caboclo com funcionários e a alta cúpula da CBF no ambiente de trabalho

Isabelle Resende, da CNN, no Rio de Janeiro
10 de junho de 2021 às 18:12 | Atualizado 14 de junho de 2021 às 06:27
player-mask
player-img

O Ministério Público do Trabalho marcou para a próxima segunda-feira (14) a primeira audiência para apurar informações sobre a denúncia de assédio sexual supostamente praticado pelo presidente afastado da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo. A audiência será realizada por teleconferência. 

O MPT informou, através de nota, que ainda não foi definido quem da CBF será ouvido. A entidade informou que "A CBF foi notificada e estará presente. 

O procedimento instaurado no MPT tem como objetivo verificar como é a relação de Rogério Caboclo com funcionários e a alta cúpula da CBF no ambiente de trabalho. Ex-funcionários também serão intimados a depor como testemunha. 

Se forem confirmadas as práticas de abuso a trabalhadores e, consequentemente, constatadas irregularidades, o MPT pode propor um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) à CBF. O acordo judicial seria uma espécie de compromisso para impedir novos casos de assédio sexual, com medidas práticas, como cursos voltados para o tema, por exemplo. 

“No caso de recusa, propomos ação civil pública, com pedidos semelhantes ao do TAC, e indenização por dano moral coletivo”, diz a nota enviada à CNN

Presidente da CBF, Rogério Caboclo
Presidente da CBF, Rogério Caboclo, foi acusado de assédio sexual e moral por uma funcionária
Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo