Após briga no Mineirão, polícia autua seis membros da delegação do Boca Juniors

Clube argentino foi desclassificado da Copa Libertadores após perder nos pênaltis para o Atlético-MG e gerou confusão nos vestiários do estádio

Delegação do Boca Juniors aguarda ao lado de fora da delegacia em Belo Horizonte
Delegação do Boca Juniors aguarda ao lado de fora da delegacia em Belo Horizonte Foto: Pedro Vilela/Getty Images

Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A Polícia Civil de Minas Gerais informou que autuou dois integrantes da delegação do Boca Juniors e outros quatro assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por lesão corporal e desacato, após o clube argentino ser desclassificado da Copa Libertadores pelo Atlético Mineiro, nesta terça-feira (20), no Mineirão.

O delegado Luiz Otávio Matozinhos explicou que “três integrantes do time de futebol argentino entraram em uma confusão com os seguranças do estádio” e que “dois jogadores pegaram bebedouros e os arremessaram, o que gerou o dano”.

“Um terceiro envolvido foi conduzido, mas não tínhamos elementos para ratificar a prisão dele”, afirmou o delegado. “O crime de dano qualificado é infração de médio potencial ofensivo. As imagens captadas no estádio contribuíram para a análise e individualização das condutas de cada um”.

Segundo Matozinhos, conforme previsão legal, foi arbitrada uma fiança no valor de R$ 3 mil para cada um dos envolvidos. Após o pagamento, eles foram liberados e responderão o processo em liberdade.

Já o delegado Henrique Miranda, que responde pela coordenação das delegacias de plantão na capital mineira, detalhou o procedimento referente à ocorrência de lesão corporal e desacato.

“Na madrugada, tanto os suspeitos quanto as vítimas foram trazidas para a delegacia. O delegado plantonista, Rodrigo César, após uma análise do fato relatado pelos policiais militares, buscou a individualização das condutas desses envolvidos. Os quatro apontados teriam desacatado os policiais militares, que foram chamados após o início da confusão, e teriam disparado cusparadas, além de terem agredido funcionários da segurança e da delegação do Atlético”, explicou.

Ainda de acordo com Miranda, onze vítimas manifestaram o interesse no prosseguimento da ação e foram emitidas guias para a realização do exame de corpo de delito.

“O laudo do exame será juntado ao processo e remetido à Justiça para as providências relacionadas a esse fato”, finalizou.

Mais Recentes da CNN