Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Atleta da Belarus é levada a aeroporto contra sua vontade após criticar técnicos

    Velocista Krystsina Tsimanouskaya disse que equipe informou que iria afastá-la e mandá-la de volta por ter criticado seus treinadores em rede social

    Da Reuters

    Ouvir notícia

     A velocista de Belarus Krystsina Tsimanouskaya afirmou que foi levada ao aeroporto internacional de Tóquio contra sua vontade neste domingo (1º) e coagida a voltar para casa, após criticar publicamente os treinadores do país nas Olimpíadas 2020.

    Tsimanouskaya, que deveria competir nos 200 metros femininos na segunda-feira (2), disse à Reuters que não planejava retornar ao seu país e que havia buscado proteção da polícia japonesa no aeroporto internacional de Haneda, em Tóquio, para não ter que embarcar no voo.

    “Não vou voltar para a Belarus”, disse à Reuters, em mensagem pelo Telegram.

    A atleta havia afirmado que a equipe técnica foi até o seu quarto neste domingo e disse para ela fazer as malas. Após isso, ela foi levada até o aeroporto para que não pudesse correr nos 200 metros, na segunda-feira (2), e no revezamento 4×400, na quinta-feira (5).

    Segundo Tsimanouskaya, a equipe afirmou que estava a afastando por “ter falado no Instagram sobre a negligência dos treinadores”.

    A atleta havia feito uma crítica sobre o caso de que alguns de seus companheiros não conseguiram viajar para Tóquio e participar dos Jogos Olímpicos porque não havia testes antidoping suficientes.

    “Algumas das nossas meninas não puderem vir até aqui competir o revezamento 4×400 m porque não tinham testes antidoping suficientes”, disse Tsimanouskaya à Reuters, do aeroporto.

    “O treinador me adicionou ao revezamento sem meu conhecimento. Falei sobre isso publicamente. Agora, o treinador principal veio até mim e disse que havia uma ordem de cima para me remover.”

    A corredora afirmou que ficou do lado da polícia japonesa o tempo todo no aeroporto e que procurou uma pessoa de Belarus no Japão, que havia deixado o país, para buscá-la no local.

    O Comitê Olímpico de Belarus não respondeu a um pedido de comentário da Reuters sobre o caso. A polícia de Haneda também não se manifestou.

    A velocista de Belarus, Krystsina Tsimanouskaya, comemora vitória nos 200 metros
    Foto: A velocista de Belarus, Krystsina Tsimanouskaya, comemora vitória nos 200 metros feminino na Universíada de Verão em Nápoles, Itália, em 2019/ Ivan Romano / Getty Images

     

    Mais Recentes da CNN