Atleta olímpico de Tonga arrecada US$ 310 mil para vítimas de erupção vulcânica

Em sua página no Instagram, Pita Taufatofua revelou que não tem notícias do pai desde o tsunami fatal no sábado (15)

Pita Taufatofua na cerimônia de encerramento da Olimpíada de Inverno de PyeongChang em 2018
Pita Taufatofua na cerimônia de encerramento da Olimpíada de Inverno de PyeongChang em 2018 Dan Istitene/Getty Images

Alex StambaughBen Morseda CNN

Ouvir notícia

Uma campanha de arrecadação de fundos esquematizada pelo porta-bandeira olímpico de Tonga, Pita Taufatofua, acumulou mais de US$ 310.000 após a enorme erupção vulcânica no sábado (15).

Conhecido por ter aparecido com o torso besuntado em óleo na cerimônia de abertura das Olimpíadas, Taufatofua criou uma página no site de campanhas GoFundMe, verificada pela CNN, na segunda-feira (17) depois do desastre.

De acordo com a página do GoFundMe, os fundos serão “destinados àqueles em maior necessidade”, assim como para reparos na infraestrutura, escolas e hospitais que foram danificados.

“Como todos sabem, um enorme tsunami causado por uma erupção vulcânica devastou Tonga…estamos buscando suas doações para ajudar nosso reino de ilhas”, diz o site. “Sua ajuda e suporte nesses tempos de dificuldade é muito apreciada”.

Nuvem de cinzas foi criada com a erupção do vulcão em Tonga / Serviços Geológicos de Tonga

Descrevendo a erupção como um “desastre sem precedentes”, o primeiro-ministro tonganês Siaosi Sovaleni acrescentou que “um cogumelo de cinzas vulcânicas” se estendeu e cobriu quase todas as 170 ilhas – das quais 36 são inabitadas – impactando uma população de mais de 100 mil pessoas.

Atleta do taekwondo e do esqui cross country, Taufatofua postou em seu Instagram na quarta-feira (19) que ainda não teve notícias de seu pai, o governador de Haapai, que estava na ilha principal de Tongatapu no momento da erupção.

Tonga
Capital de Tonga foi atingida por tsunami apos erupção / Twitter/Sakak Moana

Taudatofua, acrescentou que, no entanto, a casa de sua família na ilha de Haapai ainda está de pé.

“Acabei de saber que nossa família na ilha de Haapai está segura e que nossa casa lá, “Fuino”, ainda está de pé! Ela tem mais de 100 anos e já passou por muitos ciclones e agora um tsunami”, escreveu o atleta.

“Ainda não tenho notícias do meu pai ou da nossa família em Kotu e as ilhas mais baixas nos arredores.”

Herói olímpico

Taufatofua representou Tonga no taekwondo na Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro, e no esqui cross country na Olimpíada de Inverno de 2018, em Pyeongchang.

O que o tornou uma personalidade viral, no entanto, foram as imagens dele na cerimônia de abertura em 2016, sem camisa, besuntado em óleo e usando um adereço tradicional tonganês no quadril, enquanto balançava a bandeira de seu país. Na Coreia do Sul, dois anos depois, desafiando o frio, Taufatofua o fez novamente.

Na Olimpíada de Tóquio, em 2021, Taufatofua agradou os fãs mais uma vez, aparecendo sem camisa e besuntado com a bandeira de Tonga, mas com uma co-porta-bandeira, Malia Maile Paseka, que competiu no taekwondo.

Malia Paseka e Pita Taufatofua foram os portas-bandeira de Tonga na Olimpíada de Tóquio, em 2021 / Hannah McKay/Pool/Getty Images

Taufatofua estava treinando taekwondo e tentando se classificar para a canoagem nos Jogos de 2020, um esporte que estava aprendendo em homenagem a seus ancestrais, e também por razões ambientais.

“Eu quero levar conscientização para os oceanos, para o nosso planeta e fazer com que as pessoas vejam que o que está acontecendo no nosso planeta é algo para que todos devemos estar alertas”, Taufatofua disse para a CNN.

“Eu amo estar no oceano, estar no mar. É um esporte que me anima. Eu ainda não o aprendi, mas me anima ao mesmo tempo.”

No entanto, ele não obteve a classificação na canoagem, significando que ele competiu somente no taekwondo.

Mesmo assim, Taufatofua ainda fez história ao se tornar a primeira pessoa a competir em três Olimpíadas consecutivas desde o início das Olimpíadas de Inverno em 1924.

Em sua página no GoFundMe, o atleta de 38 anos disse que está em um “centro de treinamento na Austrália“.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN