Atletas têm consciência sobre protocolos contra Covid, diz infectologista do COB

À 'CNN', Ho Yeh Li disse que trabalho para evitar casos na delegação brasileira começou antes do embarque para o Japão

Equipe brasileira de surfe se encontra com Marco La Porta, chefe da Missão, na Vila Olímpica de Tóquio
Equipe brasileira de surfe se encontra com Marco La Porta, chefe da Missão, na Vila Olímpica de Tóquio Foto: Rafael Bello - 19.jul.2021/COB

Amanda Garcia, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

As Olimpíadas de 2020, que começaram oficialmente nesta sexta-feira (23) com a realização da cerimônia de abertura, trouxeram consigo um desafio extra para a delegação brasileira – e de todos os outros países: a prevenção contra a Covid-19.

A infectologista Ho Yeh Li integrou o Time Brasil neste ano e, em entrevista à CNN, disse que o trabalho é “totalmente diferente” das demais edições dos Jogos.

Segundo ela, o esforço foi para a “conscientização de toda a equipe médica para orientar os atletas” a respeito dos protocolos contra o avanço do coronavírus.

“Graças a Deus não tivemos nenhum caso confirmado porque todo mundo está conscientizado”, comemorou.

Antes mesmo de chegar ao Japão, Ho Yeh Li disse que os atletas passaram por intensa orientação para que não saíssem de casa, evitassem aglomerações, usassetm máscaras.

Até durante o transporte aéreo houve novas diretrizes: “Recomendamos que só comessem quando a pessoa ao lado tivesse acabado, já com máscaras. Incentivamos a higienização das mãos e o Comitê Olímpico do Brasil (COB) providenciou máscaras N95.”

Uma vez em Tóquio, mais orientações foram estabelecidas: “Evitamos pegar transporte com outras delegações, separamos os horários das refeições e fazemos testagem todos os dias – até dos funcionários terceirizados. Somente com resultado negativo podem entrar no nosso espaço”.

“A nossa equipe está bastante tranquila, todo mundo sabe o que tem que fazer”, completou a infectologista.

Mais Recentes da CNN