Australian Open: 47 tenistas ficam em quarentena após Covid-19 em voos

A Austrália concordou em aceitar cerca de 1,2 mil jogadores, dirigentes e membros de staff dos atletas em 15 voos para o grande evento esportivo

Jogadores de tênis e comissão deixam voo procedente de Doha para Melbourne
Jogadores de tênis e comissão deixam voo procedente de Doha para Melbourne Foto: James Ross/Reuters

Melanie Burton e Ian Ransom, da Reuters

Ouvir notícia

Quarenta e sete tenistas foram forçados a duas semanas de quarentena em um hotel em Melbourne, após três casos do novo coronavírus serem detectados em dois voos fretados que levavam os atletas para o primeiro Grand Slam de tênis no ano, disseram os organizadores do torneio neste sábado (16).

Vinte e quatro jogadores que chegaram de Los Angeles entraram em quarentena estrita num hotel depois que um membro da tripulação da aeronave e um participante do Aberto da Austrália que não era jogador testaram positivo para o novo coronavírus.

Mais tarde, outro passageiro não-atleta em um voo vindo de Abu Dhabi também testou positivo, levando os organizadores a colocarem mais 23 jogadores em isolamento.

Todos os três com teste positivo foram transferidos para um hotel sanitário, disseram os organizadores em comunicado. Os jogadores que estavam nos voos não poderão deixar seus quartos de hotel por 14 dias até que tenham autorização médica, disseram eles.

A decisão significa preparação desigual entre os participantes. O uruguaio Pablo Cuevas usou o Twitter para se manifestar. “De ter 5 horas de treinamento em uma bolha para isso… Vou mostrar a vocês meus treinos via Instagram (de dentro do quarto)”, escreveu o número 68 do ranking.

A Austrália concordou em aceitar cerca de 1,2 mil jogadores, dirigentes e membros de staff dos atletas em 15 voos para o grande evento esportivo que deve começar no próximo mês.

Além de Cuevas, o jogador mexicano Santiago Gonzalez também confirmou estar em um dos voos em postagem nas redes sociais.

Entre outros jogadores citados pela mídia local como prováveis integrantes dos voos, estão Tennys Sandgren, que recebeu permissão especial para viajar de Los Angeles no final da semana passada após testar positivo para o novo coronavírus, que já o havia contaminado antes, e a jogadora Victoria Azarenka, de Belarus, número 13 do mundo no ranking de duplas.

“Estamos nos comunicando com todos do voo, e particularmente com o grupo de jogadores cujas condições agora mudaram, para garantir que suas necessidades sejam atendidas da melhor maneira possível”, disse o diretor do torneio Craig Tiley.

O ex-número 1 do mundo Andy Murray revelou que testou positivo para Covid-19 na semana passada, mas disse que estava com boa saúde e ainda esperava competir. A americana Madison Keys desistiu na semana passada depois de testar positivo.

As infecções ocorrem no momento em que a Austrália registra apenas um caso de contágio local e em que os Estados começam a relaxar as proibições de viagens depois de contido um surto no estado de Queensland, no norte do país.

Mais Recentes da CNN