Biles agradece academia japonesa por deixá-la treinar secretamente em Tóquio

Durante um período de quatro dias, Biles praticou por horas atrás de portas trancadas trabalhando em movimentos que ela anteriormente executava com precisão

Enquanto lutava contra um bloqueio, americana treinou secretamente em Tóquio
Enquanto lutava contra um bloqueio, americana treinou secretamente em Tóquio Foto: Morry Gash - 25.jul.2021/AP

David Close, da CNN

Ouvir notícia

A ginasta americana Simone Biles agradeceu, através de uma publicação em seu perfil no Twitter, nesta quarta-feira (4), uma academia japonesa por permitir que ela treinasse de forma privada enquanto tentava se recuperar para a disputa das Olimpíadas de Tóquio após desistir durante a final por equipes da ginástica artística feminina nos Jogos.

Ao agradecer a Universidade Juntendo em um tuíte, Biles retuitou uma história publicada pela primeira vez no jornal americano The Wall Street Journal. A reportagem diz que Biles e sua equipe perguntaram à universidade se ela poderia usar discretamente a academia na tentativa de superar sua luta contra os “twisties”, um bloqueio mental na ginástica no qual os competidores perdem o controle de seu posicionamento no ar.

O Wall Street Journal informou que o professor universitário Kazuhiro Aoki recebeu um telefonema cerca de 12 horas depois que Biles se retirou da final por equipes pedindo para usar o ginásio da universidade para “uma ginasta”.

De acordo com a reportagem, durante um período de quatro dias, Biles praticou por horas atrás de portas trancadas trabalhando em movimentos que ela anteriormente executava com precisão.

Treino em separado

Na semana passada, Biles postou uma série de vídeos em sua conta do Instagram mostrando sua luta para encontrar sua forma e caindo no solo enquanto praticava desmontagem nas barras assimétricas.

Biles disse nesta quarta-feira (4) que “seria eternamente grata” ao Juntendo “por me permitir treinar separadamente para tentar recuperar minhas habilidades”.

Os japoneses, ela escreveu em seu tuíte, “são algumas das pessoas, senão as mais, doces que já conheci”.

Depois de não competir como originalmente planejado em quatro finais individuais nas Olimpíadas de Tóquio — a competição individual geral, o salto, as barras assimétricas e o solo –, Biles voltou na terça-feira (3) para conquistar a medalha de bronze na final feminina da trave. Foi sua segunda medalha nestes Jogos e sua sétima medalha olímpica geral.

Mais Recentes da CNN