Biles diz priorizar saúde mental e não confirma presença nas finais individuais

Norte-americana abandonou a final por equipes e deixou em aberto a presença em decisões nas quais enfrentaria ginastas brasileiras

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Não houve lesão, mas sim um pouco de orgulho ferido por uma prova ruim e um tanto mais de cuidado com a saúde mental. Essa foi a explicação da ginasta norte-americana Simone Biles sobre os motivos que a levaram a abandonar nesta terça-feira (27) a final por equipes da ginástica artística nas Olimpíadas de Tóquio. 

“Eu apenas não queria continuar”, disse Biles, que deixou a disputa após um desempenho abaixo do esperado na prova do salto. Ela seguiu no ginásio, torcendo pelas companheiras, mas acabou por aplaudir as ginastas da Rússia, que levaram o ouro. Os EUA de Biles, que lutavam pelo tricampeonato olímpico, ficaram com a prata, enquanto a Grã Bretanha conquistou o bronze. 

Saúde mental

Por trás do abandono, Biles jogou na mesa a discussão sobre saúde mental dos atletas de alto rendimento. Vencedora de quatro medalhas de ouro no Rio 2016, a norte-americana é uma das principais estrelas dos Jogos de Tóquio. 

É grande a expectativa para que ela leve para casa mais algumas medalhas, preferencialmente douradas — Biles ainda deve disputar cinco finais individuais, três delas contra a brasileira Rebeca Andrade.

Mas a nota de 13.766 no salto, a pior da série, foi a deixa para Biles desenhar para todos que, talvez, nem tudo se resuma ao lugar mais alto do pódio.

Simone Biles após sua desistência na ginástica por equipes
Técnica norte-americana consola Simone Biles após sua desistência na ginástica por equipes das Olimpíadas 2020
Foto: Gregory Bull – 27.jul.2021/AP

“Eu tenho que focar na minha saúde mental”, disse em entrevista coletiva. “Não [estava machucada], apenas com meu orgulho um pouco ferido”, completou, para na sequência ampliar sua visão sobre a pressão vivida por atletas como ela: “Temos que proteger nossas mentes e corpos, e não apenas ir lá [competir] e fazer o que o mundo quer que façamos”.

“Eu não confio mais tanto em mim mesma… talvez esteja ficando mais velha. Há alguns dias, quando todo mundo tuita sobre você, vem o peso do mundo nas costas. Nós não somos apenas atletas, no fim do dia nós somos pessoas, e às vezes temos que dar um passo atrás”, avalia. “Você tem que estar lá [na competição] 100% ou 120%, ou você vai se machucar”, completa Biles.

Rebeca e Flávia pela frente?

Biles não confirma que estará nas finais individuais. “Veremos sobre quinta-feira (primeiro dia das finais). Vamos viver um dia de cada vez e ver o que acontece. Vou apenas tentar me preparar para o próximo teste.”

Segundo a federação de ginástica dos Estados Unidos, Biles desistiu por uma “questão médica” e será “acompanhada diariamente” para determinar sua liberação nas outras provas. 

A norte-americana está classificada  para mais quatro disputas por medalhas. A final no individual geral, competição na qual Biles avançou em primeiro lugar, está marcada para quinta-feira (29) —  a segunda colocada, inclusive, é a brasileira Rebeca Andrade, que também enfrentará Biles em mais duas finais: no salto, no domingo (1º), e no solo, no dia seguinte.

No dia 3, próxima terça-feira, Biles ainda tem a final da trave, para a qual também está classificada a brasileira Flávia Saraiva. Em 2016, a norte-americana foi ouro no individual geral, no salto, no solo e por equipes, além de conquistar o bronze na trave.

Norte-americanas, com Simone Biles, recebem medalha de prata em Tóquio
Sunisa Lee, Grace McCallum, Simone Biles e Jordan Chiles recebem a medalha de prata da ginástica por equipes
Foto: Natacha Pisarenko – 27.jul.2021/AP

Apoio ao time

Sobre a prata por equipes, Biles também agradeceu às companheiras pelo desempenho que garantiu o segundo lugar e afirmou que elas tinham condições de seguir na disputa sem a sua participação. “Estou orgulhosa de como as meninas se apresentaram e fizeram o que precisavam fazer. Devo às meninas, isso não tem nada a ver comigo. Estou muito orgulhosa delas”, disse.

Ela também revelou o que disse à equipe no momento em que anunciou a desistência: “Vocês [atletas] fizeram todo o treinamento, podem fazer isso sem mim e vai ficar tudo bem”.

A final por equipes coloca os seis times finalistas participando, em rodízio, dos quatro aparelhos: salto, barras assimétricas, trave e solo. Três ginastas, por país, competem em cada uma das quatro categorias. Elas só têm direito a uma tentativa.

Biles saltou e saiu visivelmente insatisfeita. A nota de 13.766 foi pior do que todas as outras cinco ginastas — as duas norte-americanas e as três russas — e muito abaixo em relação ao desempenho que a própria ginasta havia conseguido nas classificatórias, no último domingo (25), quando marcou 15.183.

(Com informações da Reuters)

Mais Recentes da CNN