CBF diz que Anvisa notificou antes da partida que argentinos não poderiam jogar

Partida entre Brasil e Argentina foi interrompida por agentes da Anvisa porque quatro jogadores argentinos furaram quarentena imposta pelo governo

Agentes da Polícia Federal a pedido da Anvisa interromperam a partida entre Brasil x Argentina
Agentes da Polícia Federal a pedido da Anvisa interromperam a partida entre Brasil x Argentina Alex Silva/ Estadão Conteúdo

Anna Gabriela Costada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Em nota divulgada nesta segunda-feira (6), a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) afirmou que os argentinos foram notificados no dia anterior à partida entre Brasil e Argentina sobre a impossibilidade de quatro atletas entrarem em campo. O jogo, neste domingo (5), acabou sendo suspenso por determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A partida foi interrompida por agentes da Anvisa, acompanhados por membros da Polícia Federal, porque quatro jogadores argentinos furaram a quarentena imposta pelo governo brasileiro.

Segundo a nota da entidade, a Anvisa reuniu-se com representantes da Associação Argentina de Futebol (AFA), Conmebol e CBF para esclarecer a situação dos quatro atletas que vieram do Reino Unido, um dos países que exige o cumprimento de quarentena ao chegar no Brasil.

“Os representantes da Seleção Argentina foram informados de que havia uma irregularidade no ingresso dos jogadores, que eles deveriam ficar em quarentena e receberam a orientação das autoridades para solicitarem, junto aos órgãos competentes, a autorização especial para que os jogadores tivessem sua situação regularizada. Tratou-se de uma discussão técnica entre Anvisa, Ministério da Saúde e Associação Argentina”, disse a CBF.

Apesar da recomendação da Anvisa, os atletas Emiliano Martinez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero saíram do hotel para treinar, enquanto acontecia a reunião com as autoridades.

“Após a reunião, quando solicitada a presença dos atletas, os agentes da Vigilância de Saúde foram informados que os jogadores haviam saído para o treinamento, descumprindo orientação passada durante a reunião”, afirmou a nota da CBF.

A CBF informou ainda que defende a implementação dos mais rigorosos protocolos sanitários e “os cumpre na sua integralidade”. De acordo com a nota, a entidade brasileira afirma que não tentou “interferir” no protocolo sanitário imposto pelas autoridades brasileiras.

“Em nenhum momento, por meio do Presidente interino, Ednaldo Rodrigues, ou de seus dirigentes, interferiu em qualquer ponto relativo ao protocolo sanitário estabelecido pelas autoridades brasileiras para a entrada de pessoas no país”, disse.

PF abre inquérito para investigar falsidade ideológica

Polícia Federal abriu um inquérito para apurar se membros da seleção argentina de futebol cometeram crime de falsidade ideológica no fornecimento de informações para burlar as regras de quarentena brasileira adotadas durante a pandemia de Covid-19.

O governo publicou no dia 23 de junho uma portaria no Diário Oficial da União com mudanças nas restrições para a entrada de estrangeiros por via aérea provenientes do Reino Unido, Irlanda do Norte, África do Sul e da Índia. A decisão foi um reflexo do avanço da variante Delta do novo coronavírus pelo mundo.

De acordo com as novas regras, ficou vedada a entrada no país de qualquer estrangeiro procedente ou com passagem pelo Reino Unido sem antes passar por uma quarentena de 14 dias.

Mais Recentes da CNN