CEO responsável pelas Olimpíadas de Tóquio demonstra incerteza sobre nova data

'Ninguém é capaz de dizer se é possível controlar o coronavírus até julho do ano que vem', disse Toshiro Muto

Arcos olímpicos na frente de painel anunciando adiamento dos Jogos de Tóquio para 2021
Arcos olímpicos na frente de painel anunciando adiamento dos Jogos de Tóquio para 2021 Foto: Dado Ruvic/Reuters (24.mar.2020)

Da CNN Brasil*

Ouvir notícia

Em uma primeira coletiva de imprensa remota, o CEO da Tokyo 2020, Toshiro Muto, afirmou que os organizadores pretendem manter a nova data, estipulada em 23 de julho de 2021, independentemente do tempo que leve para conter o surto de coronavírus. Em sua declaração, entretanto, deixou claro que as incertezas ainda dominam as discussões sobre o evento.

“Acho que ninguém é capaz de dizer se é possível ou não controlar o avanço do coronavírus até julho do ano que vem”, disse Muto. “Certamente não estamos em posição de dar uma resposta clara sobre essa pergunta.”

No mês passado, o Comitê Olímpico Internacional (COI) e o governo japonês concordaram em adiar a competição, que deveria acontecer em julho deste ano, por causa do impacto do coronavírus em todo o mundo. Divulgado no último dia 30/3, o novo período para a realização dos Jogos Olímpicos deve ocupar os dias entre 23 de julho e 8 de agosto de 2021

Esta foi a primeira vez na era moderna que a competição foi adiada. Em outros três momentos críticos, durante as duas Grandes Guerras Mundiais, os jogos de Berlim 1916, Japão 1940 e Londres 1944 foram cancelados. 

“No entanto, tomamos a decisão de adiar os Jogos em um ano. Então, tudo que podemos fazer agora é trabalhar duro para organizar a competição neste tempo que temos”, concluiu Muto.

Por causa das restrições de viagem impostas após o coronavírus, Muto também anunciou que a visita agendada do presidente do COI Thomas Bach ao Japão, que aconteceria em maio, foi cancelada.

O primeiro-ministro japonês Shinzo Abe decretou estado de emergência na terça-feira (7). Nesta semana, o Japão registrou mais de 6 mil casos de coronavírus e 112 mortes, de acordo com a mídia local.

*Com informações da Reuters

Mais Recentes da CNN