COI anuncia nomes de 29 atletas selecionados para equipe olímpica de refugiados

A equipe vai competir sob a bandeira olímpica e inclui pessoas de países como Síria, Sudão do Sul, Eritreia, Afeganistão e Irã

Sanda Aldass, judoca síria que competirá pela equipe de refugiados em Tóquio 2020
Sanda Aldass, judoca síria que competirá pela equipe de refugiados em Tóquio 2020 Foto: Reuters

Sophie Penney,

da Reuters

Ouvir notícia

O Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou na terça-feira (8) uma equipe de refugiados ampliada de 29 atletas competindo em 12 esportes nos Jogos de Tóquio em julho.

A equipe, que vai competir sob a bandeira olímpica e inclui pessoas de países como Síria, Sudão do Sul, Eritreia, Afeganistão e Irã, é quase três vezes maior que a equipe inaugural dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016.

A nadadora síria Yusra Mardini, que nadou em segurança quando seu barco virou entre a Turquia e a Grécia em 2015, estará de volta para seus segundos Jogos após tomar o Rio de assalto.

Também fazem parte da equipe Kimia Alizadeh, a primeira mulher medalhista olímpica do Irã ao ganhar o bronze no taekwondo nas Olimpíadas de 2016, e a colega iraniana de canoa Saeid Fazloula.

Alizadeh partiu em 2020 dizendo que era oprimida como mulher, enquanto Fazloula chegou à Alemanha em 2015 através dos Bálcãs.

“Este será para sempre um dos momentos mais emocionantes da minha vida, conhecer esses atletas, saber sobre suas histórias pessoais”, disse o presidente do COI, Thomas Bach, em uma apresentação virtual da equipe.

“São jovens atletas que correram risco de vida, que tiveram que abrir mão de tudo, que estavam arriscando a vida tendo que passar por momentos de terrível humilhação humana. E saindo dessa com tanta força, com tanta energia , com tanto otimismo.”

Os atletas, que marcharão para o estádio durante a cerimônia de abertura em segundo lugar atrás dos fundadores dos Jogos antigos, a Grécia, foram selecionados a partir de um grupo de 56, apoiados por bolsas olímpicas de 13 países diferentes.

O COI revelou sua primeira equipe de refugiados nos Jogos do Rio para aumentar a conscientização sobre o problema, enquanto centenas de milhares de pessoas estavam chegando à Europa do Oriente Médio e de outros lugares, fugindo do conflito e da pobreza.

Essa equipe de 10 membros da Síria, Congo, Etiópia e Sudão do Sul competiu nas modalidades atletismo, natação e judô.

Mais Recentes da CNN