Corinthians arranca empate com o São Paulo e mantém a liderança do Brasileirão

Calleri e Adson marcaram os gols do confronto, o 16º do Corinthians sem derrota para o rival em Itaquera

Adson comemora após empatar o jogo contra o São Paulo em Itaquera
Adson comemora após empatar o jogo contra o São Paulo em Itaquera Renato Gizzi/Agência O Dia/Estadão Conteúdo

Leandro Silveiracolaboração para a CNN

Ouvir notícia

O Corinthians segue na liderança do Campeonato Brasileiro e sem perder para o São Paulo quando atua no seu estádio. Neste domingo (22), arrancou o empate por 1 a 1 com o rival, em partida válida pela sétima rodada, na Neo Química Arena. Calleri abriu o placar no primeiro tempo, com Adson igualando o placar no segundo.

O resultado levou o Corinthians aos 14 pontos, com dois a mais do que o São Paulo, que iria assumir a dianteira do Brasileirão caso ganhasse pela primeira vez em Itaquera. Porém, manteve o seu jejum no Majestoso na casa do rival, com dez derrotas e seis empates em oito anos.

A igualdade também ampliou outras invencibilidades. O São Paulo não perde há dez jogos, ainda que com cinco empates nessa sequência. E a série do Corinthians sem derrotas agora está em oito compromissos, com quatro vitórias. Porém, é o time tricolor que tem se dado melhor no Majestoso mais recentemente, com três triunfos e três empates nos últimos seis duelos.

O São Paulo é um dos 4 times com 12 pontos e ocupa a terceira posição, atrás do Palmeiras, à frente pelo saldo de gols (7 a 4). O Atlético-MG é o quarto, com o Botafogo na quinta posição.

Na outra ponta da tabela está o Fortaleza, que segue em último lugar e com apenas um ponto após perder por 1 a 0 para o Fluminense, no Castelão. Já o time carioca chegou aos 11 pontos, em sétimo lugar, com a mesma pontuação do sexto Santos e saldo inferior (1 a 5).

No outro jogo deste domingo, o Athletico-PR venceu o Avaí por 2 a 1, na Arena da Baixada. Chegou, assim, aos 9 pontos, em 12º lugar, atrás do time catarinense, o décimo, com 10.

Calleri e Cássio brilham no Majestoso

O clássico que valeu a liderança do Brasileirão terminou empatado em 1 a 1 e teve dois tempos bem distintos, com o São Paulo dominando completamente o Corinthians na primeira metade. Até levou um susto, com um gol de Jô anulado por impedimento de Renato Augusto, confirmado após consulta ao VAR, mas criou várias chances, parando em Cássio em disparo de Alisson e em cabeceio de Calleri.

E o São Paulo abriu o placar com o seu centroavante aos 50 minutos. No lance, após cobrança de falta, e disputa pelo alto, Alisson cruzou para Calleri, que dominou e chutou cruzado. Foi o sétimo gol do artilheiro do Brasileirão em sete jogos disputados. Além disso, marcou três vezes nos últimos quatro clássicos com o Corinthians.

Esse domínio do São Paulo, porém, não se repetiu na etapa final. Com as mudanças feitas pelos treinadores, que desfizeram os esquemas com três zagueiros, o Corinthians passou a controlar o meio-campo, com o time tricolor optando por recuar. A equipe vinha conseguindo deixar o jogo travado, embora fosse pressionado. E acabou sendo vazada aos 34 minutos. Lucas Piton cruzou da esquerda e Adson apareceu na área e cabeceou às redes, para a alegria dos 44.899 torcedores que foram ao estádio.

Nos acréscimos, Cássio manteve a igualdade em Itaquera ao defender cabeceio de Igor Gomes. Se lesionou no lance e precisou ser substituído, mas garantiu o empate em 1 a 1 e a liderança para o Corinthians.

Cantos homofóbicos

O duelo também ficou marcado por repetitivos cânticos homofóbicos entoados pela torcida do Corinthians, o que foi relatado na súmula pelo árbitro Wilton Pereira Sampaio, embora tenha sido solicitado pelo sistema de som do estádio que a manifestação do público não acontecesse.

À imprensa, o presidente do clube, Duilio Monteiro Alves, disse considerar que “não faz sentido” haver gritos homofóbicos no futebol.

“A gente é totalmente contrário a esse tipo de canto, da mesma forma que é contra o racismo. A gente vem conversando com torcedores e está fazendo campanhas. Todas as vezes que se gritou hoje, a locutora do estádio reprimiu e foi colocada uma mensagem no telão. A gente não acha correto. O futebol está mudando. Depois, a torcida até parou de fazer a ofensa. Nós temos de insistir para acabar com qualquer discriminação. Estamos em 2022, isso não faz mais sentido”, afirmou Duilio.

Em nota, o clube afirmou que “reafirma o repúdio a tal prática”. “Vale lembrar que o clube alerta continuamente sua torcida, por meio de suas redes sociais e do sistema de som e de telões da Neo Química Arena, para a ilegalidade desses comportamentos inaceitáveis. Fica aqui mais uma vez o pedido à Fiel Torcida para que esses atos não se repitam em nossa arena.”

Fluminense afunda o Fortaleza

No Castelão, o Fluminense contou com um gol no início para vencer o Fortaleza por 1 a 0. O time abriu o placar logo aos 8 minutos, com Luiz Henrique, que recebeu passe de Nathan e deixou Capixaba no chão antes de bater para as redes. Depois, a equipe cearense pressionou e terminou o primeiro tempo com 12 finalizações, mas não conseguiu marcar. E ainda perdeu Titi no fim, que quebrou dois dentes e precisou ser substituído.

Diante de 37.507 torcedores, o Fortaleza até tentou alterar o roteiro do jogo no começo da segunda etapa, quando o time chegou a empatar com Moisés, aos 7 minutos, mas com o gol sendo anulado após consulta ao VAR, por causa de falta na origem do lance, ainda no campo de defesa. E o recurso eletrônico também foi usado para anular um gol de Cano, aos 29, por impedimento. A equipe da casa buscou pressionar no fim, mas voltou a parar em Fábio, que assegurou o triunfo do Fluminense ao terminar o duelo com oito defesas.

Luiz Henrique foi o autor do gol do Fluminense contra o Fortaleza
Luiz Henrique foi o autor do gol do Fluminense contra o Fortaleza / Mailson Santana/Fluminense FC

Terans dá vitória ao Athletico-PR

Na Arena da Baixada, o Athletico-PR contou com gols do uruguaio David Terans no primeiro tempo para vencer o Avaí por 2 a 1, diante de 16.872 torcedores. Foi o terceiro triunfo do time em casa no Brasileirão, só tendo pontuado, até agora, como mandante. Já a equipe catarinense se distanciou na briga pelas primeiras posições ao perder o segundo jogo seguido.

O primeiro gol de Terans foi de pênalti, aos 24 minutos do primeiro tempo, após a bola desviar no braço de Arthur Chaves, em lance revisto no vídeo pelo árbitro. Já o segundo gol saiu aos 43, em chute cruzado. Na etapa final, o Avaí precisou de dois pênaltis para diminuir. Primeiro, aos 3 minutos, Bento defendeu a cobrança de “cavadinha” de William Pottker, derrubado na disputa pelo rebote por Khellven. Dessa vez, aos 5, Pottker converteu, chutando alto e no canto esquerdo.

Resultados

Aberta em 11 de maio com o empate por 1 a 1 entre Bragantino e Atlético-MG, a sétima rodada do Brasileirão teve seis jogos no sábado (21): Flamengo 1 x 0 Goiás, Atlético-GO 2 x 0 Coritiba, Santos 0 x 0 Ceará, Juventude 0 x 3 Palmeiras e as igualdades por 1 a 1 em América-MG x Botafogo e Cuiabá x Internacional.

Próxima rodada

Já a oitava rodada começa no próximo sábado (28), com três jogos: Goiás x Bragantino, São Paulo x Ceará e Fortaleza x Juventude.

Vão ser, ainda, seis partidas no domingo (29): Santos x Palmeiras, Coritiba x Botafogo, Fluminense x Flamengo, Corinthians x América-MG, Cuiabá x Athletico-PR e Atlético-MG x Avaí. A jornada será concluída na segunda-feira (30) com Internacional x Atlético-GO.

 

Mais Recentes da CNN