Djokovic diz que proibição de jogadores em Torneio de Wimbledon é “loucura”

Jogador tinha apenas 11 anos quando sofreu ataques aéreos na capital sérvia

Novak Djokovic
Novak Djokovic 24/02/2022REUTERS/Suhaib Salem

Amy WoodyattAleks KlosokAnna Chernovada CNN

Ouvir notícia

Vinte vezes campeão de Grand Slam Novak Djokovic criticou a decisão de proibir jogadores russos e bielorrussos de competir em Wimbledon este ano, chamando a medida de “loucura”.

Os organizadores de Wimbledon anunciaram na quarta-feira (20) que os jogadores russos e bielorrussos não poderão competir na edição deste ano após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

“Sempre condenarei a guerra, nunca apoiarei a guerra sendo filho da guerra”, disse o número 1 do mundo a repórteres no Aberto da Sérvia.

Djokovic tinha apenas 11 anos quando sofreu ataques aéreos na capital sérvia, que marcaram o início do que seria uma campanha de 78 dias da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) para tentar acabar com as atrocidades cometidas pela então Iugoslávia – as tropas do presidente Slobodan Milosevic contra os albaneses étnicos na província de Kosovo.

“Eu sei quanto trauma emocional isso deixa. Na Sérvia, todos nós sabemos o que aconteceu em 1999. Nos Bálcãs, tivemos muitas guerras na história recente”, disse ele a repórteres.

“No entanto, não posso apoiar a decisão de Wimbledon, acho uma loucura. Quando a política interfere no esporte, o resultado não é bom”.

Wimbledon anunciou na quarta-feira e defendeu sua decisão de banir jogadores russos e bielorrussos do torneio deste ano.
“Dado o perfil dos campeonatos no Reino Unido e em todo o mundo, é nossa responsabilidade desempenhar nosso papel nos amplos esforços do governo, da indústria, das instituições esportivas e criativas para limitar a influência global da Rússia através dos meios mais fortes possíveis”, disse o comunicado. All England Lawn Tennis Club (AELTC) disse em um comunicado.

“Nas circunstâncias de tal agressão militar injustificada e sem precedentes, seria inaceitável para o regime russo obter quaisquer benefícios do envolvimento de jogadores russos ou bielorrussos com o Campeonato.

“Portanto, é nossa intenção, com profundo pesar, recusar entradas de jogadores russos e bielorrussos para o Campeonato de 2022”, acrescentou.

O Kremlin disse na quarta-feira que a proibição de jogadores russos participarem de Wimbledon como resultado da invasão russa da Ucrânia é “inaceitável”.

A proibição de jogadores russos impedirá que vários jogadores de alto escalão compitam no icônico Grand Slam de grama.
Quatro homens russos, incluindo o número dois do mundo e atual campeão do US Open, Daniil Medvedev, estão atualmente classificados entre os 30 melhores do ATP Tour. A Rússia tem cinco mulheres no top 40 do ranking do WTA Tour.

Aryna Sabalenka, da Bielorrússia, está atualmente em quarto lugar no mundo e foi semifinalista de Wimbledon no ano passado, enquanto a compatriota Victoria Azarenka, ex-número 1 do mundo, está atualmente classificada em 18º.

A decisão da AELTC é a primeira vez que jogadores russos e bielorrussos são proibidos de competir em um evento de tênis de elite.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN