Esposa de Kobe Bryant soube da morte do marido por postagens nas redes sociais

Vanessa Bryant testemunhou como parte de seu processo contra o departamento do xerife, o corpo de bombeiros e o condado de Los Angeles

Vanessa Bryant, a viúva de Kobe Bryant, diz que ficou sabendo da morte do astro do basquete, em janeiro de 2020, por notificações de redes sociais
Vanessa Bryant, a viúva de Kobe Bryant, diz que ficou sabendo da morte do astro do basquete, em janeiro de 2020, por notificações de redes sociais Mark J. Terrill/AP

Andy Roseda CNN

Ouvir notícia

Vanessa Bryant, a viúva de Kobe Bryant, disse que soube da morte do astro do basquete quando notificações de redes sociais começaram a aparecer em seu telefone – horas antes de receber a confirmação oficial do Departamento do Xerife de Los Angeles, nos Estados Unidos.

“Eu estava segurando meu telefone, porque obviamente estava tentando ligar de volta para meu marido, e todas essas notificações começaram a aparecer no meu telefone, dizendo ‘RIP Kobe. RIP Kobe. RIP Kobe'”, disse Vanessa Bryant em um depoimento em 12 de outubro. Em inglês, RIP é a sigla para Rest in Peace, “descanse em paz”, em português.

Bryant, 41, e uma de suas filhas, Gianna, 13, estavam entre as nove pessoas mortas quando um helicóptero bateu em uma encosta em Calabasas, na Califórnia, em 26 de janeiro de 2020.

Eles estavam a caminho de um jogo de basquete na Mamba Sports Academy, em Thousand Oaks, quando o acidente aconteceu, disse a diretora do time Lady Mavericks, Evelyn Morales, na época.

Vanessa Bryant testemunhou como parte de seu processo contra o departamento do xerife, o corpo de bombeiros e o condado de Los Angeles, alegando que funcionários do departamento tiraram fotos do local do acidente de helicóptero, incluindo fotos de corpos supostamente de seu marido e filha.

“Não acho justo estar aqui hoje tendo que lutar por responsabilidade”, disse Bryant, de acordo com uma transcrição do depoimento que foi apresentado ao tribunal na sexta-feira (22).

“Porque ninguém deveria ter que suportar esse tipo de dor e medo por seus familiares. As fotos sendo divulgadas, isso não está certo”.

Bryant disse que, no dia do acidente, representantes do departamento do xerife se recusaram repetidamente a responder a suas perguntas sobre a condição de seus familiares até que o xerife Alex Villanueva chegou e disse a ela pessoalmente que eles haviam morrido.

“E ele disse: ‘Há algo que eu possa fazer por você?’ E eu disse: se você não pode trazer meu marido e meu bebê de volta, por favor, certifique-se de que ninguém tire fotos deles”, disse Bryant, de acordo com a transcrição do depoimento. “Por favor, proteja a área. E ele disse: eu irei”.

Bryant disse que temia que “fãs, drones ou helicópteros” capturassem imagens da cena, de acordo com a transcrição.

O departamento do xerife se recusou a comentar sobre o processo pendente.

O depoimento frequentemente se tornou duro e emocional quando o advogado de defesa Louis Miller pediu a Bryant para olhar várias fotos que os advogados de Bryant enviaram como evidência, que mostravam cenas do acidente que foram enviadas para Vanessa Bryant ou circularam online.

“Não quero olhar para isso”, disse Bryant, às vezes segurando a mão dela sobre a tela da videoconferência. “Isso é terrível.”

Miller também pediu a Bryant para discutir se ela poderia estar sofrendo de transtorno de estresse pós-traumático. A transcrição parcialmente redigida não indica a resposta de Bryant.

O condado de Los Angeles pediu ao tribunal que obrigue Bryant a fazer um exame psiquiátrico.

Bryant disse que as consequências do acidente e a divulgação de fotos foram tão traumatizantes que ela manteve a posse das roupas que Kobe e Gianna Bryant usavam no momento de suas mortes.

“E se suas roupas representam a condição de seus corpos, não consigo imaginar como alguém poderia ser tão insensível e não ter nenhuma consideração por eles ou por nossos amigos, e apenas compartilhar as imagens como se fossem animais na rua”, disse ela.

Este é um texto traduzido. Para ler o original em inglês, clique aqui.

Mais Recentes da CNN