Federação Paulista cobra punição para torcedores que invadiram campo na Copinha

Torcedores do São Paulo também arremessaram objetos em direção ao campo, incluindo uma faca, durante partida disputada contra o Palmeiras

Torcedores invadem o campo, na partida valida pela semifinal da Copa Sao Paulo de Futebol Junior, no estádio Arena Barueri
Torcedores invadem o campo, na partida valida pela semifinal da Copa Sao Paulo de Futebol Junior, no estádio Arena Barueri (Foto: ALEXANDRE NETO/PHOTOPRESS/Estadão Conteúdo) 22/01/2022 - Foto: ALEXANDRE NETO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)

Giovanna GalvaniDanilo Moliternoda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A Federação Paulista de Futebol (FPF) afirmou, em nota emitida neste domingo (23), que irá cobrar das autoridades uma punição aos torcedores do São Paulo que invadiram o campo e arremessaram objetos no gramado durante partida contra o Palmeiras pela Copa São Paulo de Futebol Jr. no sábado (22).

Nos acréscimos da partida que garantiu ao Palmeiras a vaga na final da Copinha, o jogo ficou interrompido por causa da invasão de torcedores do time adversário, que discutiram com jogadores palmeirenses no gramado. Uma faca chegou a ser atirada no campo.

Os próprios jogadores do São Paulo contiveram dois torcedores que tentavam avançar em direção ao elenco do Palmeiras. Depois da confusão, a partida foi retomada.

A FPF diz repudiar “veementemente as lamentáveis cenas de invasão de certos indivíduos, arremesso de objetos e o flagrante de uma faca no campo da semifinal da Copa São Paulo”.

“A FPF cobrará das autoridades que os criminosos travestidos de torcedores que praticaram tais atos sejam punidos com o maior rigor da lei e permaneçam afastados dos estádios.”, complementa a nota.

A assessoria do Palmeiras disse que nenhum jogador ficou ferido e que mais informações competem a Polícia Militar. O time disse que não irá emitir uma nota sobre o assunto.

O São Paulo Futebol Clube, por sua vez, afirmou em nota que “repudia veementemente qualquer ato de violência e espera que os culpados sejam responsabilizados pela polícia”.

Mais Recentes da CNN