Final da Euro 2020 ‘super espalhou’ a Covid-19, diz agência de saúde britânica

Partida entre Inglaterra e Itália reuniu 67 mil no estádio de Wembley, em Londres, onde mais de 3.000 pessoas potencialmente se infectaram pelo coronavírus

Estádio de Wembley recebeu mais de 65 mil torcedores para a final da Eurocopa
Estádio de Wembley recebeu mais de 65 mil torcedores para a final da Eurocopa Facundo Arrizabalaga - Pool/Getty Images

Reuters

Ouvir notícia

A final da Euro 2020 entre Inglaterra e Itália em julho foi um evento com potencial “super disseminador” do coronavírus, devido ao nível de infecção por Covid-19 encontrado no estádio de Wembley, em Londres, na Inglaterra, ou próximo a ele no dia da partida, de acordo com dados oficiais publicados nesta sexta-feira (20).

Segundo a Agência de Saúde Pública da Inglaterra, 2.295 pessoas presentes poderiam estar infectadas, e outras 3.404 potencialmente se infectaram na partida de 11 de julho.

“A final da Euro foi um evento ‘super espalhador’”, declarou o jornal Times.

A partida, com uma multidão de cerca de 67 mil pessoas dentro do estádio, foi a primeira final em um torneio internacional de futebol da Inglaterra desde que o país sediou e venceu a Copa do Mundo de 1966.

“A Euro 2020 foi uma ocasião única e é improvável que vejamos um impacto semelhante nos casos Covid-19 em eventos futuros”, disse Jenifer Smith, vice-diretora médica da Agência de Saúde Pública da Inglaterra, em um comunicado.

“No entanto, os dados mostram como o vírus pode se espalhar facilmente quando há contato próximo e isso deve ser um aviso para todos nós, enquanto tentamos retornar à normalidade cautelosa mais uma vez.”

Outros eventos de teste ao longo de um período de quatro meses mostraram muito menos testes positivos e foram amplamente alinhados ou inferiores às médias nacionais.

O Grande Prêmio de Fórmula 1 da Grã-Bretanha, em Silverstone, em julho, atraiu 350 mil pessoas, o maior público na Grã-Bretanha em mais de 18 meses, durante três dias e teve 585 casos registrados pelo NHS, o sistema público de saúde britânico.

Desses casos, 343 provavelmente já estavam infectados na época do evento e o restante provavelmente contraíram a infecção.

Os campeonatos de tênis de Wimbledon, com cerca de 300 mil participantes nas duas semanas, registraram 881 casos.

“Nós mostramos que podemos reintroduzir esportes de massa e eventos culturais com segurança, mas é importante que as pessoas permaneçam cautelosas ao se misturar em ambientes muito lotados”, disse o ministro da Cultura, Oliver Dowden.

“Para que possamos manter a temporada de futebol, teatros e shows seguros com multidões cheias neste inverno, exorto os fãs de esporte, música e cultura a tomarem a vacina, pois esta é a maneira mais segura de fazer grandes eventos dispararem em todos os cilindros mais uma vez.”, disse o ministro.

 

Mais Recentes da CNN