Fluminense propõe parceria com prefeitura para liberar público na Libertadores

Proposta é fazer a partida da próxima quinta-feira (12) um evento teste para a reabertura gradual do Maracanã

Final da Copa América 2021 no Maracanã
Final da Copa América 2021 no Maracanã Foto: Getty Images

Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

 

O Fluminense propôs à Prefeitura do Rio de Janeiro a liberação de 10% do público na partida da próxima quinta-feira (12) contra o Barcelona-EQU, no Maracanã, pelas quartas de final da Copa Libertadores da América. A ideia do clube é realizar um evento-teste, em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde, visando o aumento gradual do público no estádio para os próximos meses. O plano da própria prefeitura já determina a liberação de 50% da capacidade máxima a partir de setembro.

O ofício encaminhado nesta sexta-feira (26) pelo presidente do Fluminense, Mario Bittencourt, à Prefeitura do Rio sugere que apenas pessoas com o ciclo vacinal completo contra a Covid-19 devem ser autorizadas a acompanhar a partida. A expectativa é que o Maracanã receba um público aproximado de sete mil pessoas.

 

“Nós sugerimos para a prefeitura do Rio que o jogo seja um evento teste para a reabertura gradual do Maracanã. Eu entrei em contato com o prefeito do Rio, Eduardo Paes, e o secretário municipal de saúde do Rio, Daniel Soranz, para falar sobre a ideia. Estamos confiantes”, disse Mário, nesta sexta durante uma live.

 Procurada pela CNN, a Secretaria Municipal de Saúde disse que vai avaliar o pedido.

Na semana passada, a prefeitura do Rio havia liberado a presença de 10% do público no Maracanã para o jogo do Flamengo contra o Olímpia, do Paraguai, que acontecerá no próximo dia 18. O clube carioca chegou a recorrer da decisão no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), mas a decisão de que a prefeitura é soberana nessa questão foi mantida. Como considerou ser inviável financeiramente pelo baixo número de ingressos comercializados, o Flamengo realocou as partidas para o estádio Mané Garrincha, em Brasília, onde foi liberado 30% do estádio, cerca de 20 mil pessoas.

Mais Recentes da CNN