Ganhar medalha na Paralimpíada do Japão, berço do judô, foi especial, diz brasileira

Lúcia Araújo venceu a russa Natalia Ovchinnikova na disputa do bronze e conquistou sua terceira medalha paralímpica

Renata Souza*da CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A brasileira Lúcia Araújo conquistou no sábado (28) a primeira medalha do judô brasileiro na Paralimpíada de Tóquio 2020. Após vencer a russa Natalia Ovchinnikova, por ippon, a paulista conquistou a medalha de bronze pela categoria até 57 kg classe B3, para atletas com baixa visão. É a quarta vez que Lúcia participa dos Jogos e a terceira que sobe ao pódio paralímpico. Ao longo de sua trajetória, conquistou duas pratas, uma no Rio 2016 e Londres 2012.

À CNN, a atleta contou que conquistar medalha nesta edição foi especial por ter sido no país que deu origem ao judô. “Cada Paralimpíada tem sua particularidade, mas essa aqui, sendo no berço do judô, tem toda aquela coisa: a gente treinou no Budokan, competiu no Budokan, onde há toda uma história.”

Lúcia Araújo explicou que, para auxiliar nos treinos em meio à pandemia de Covid-19, a Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais – CBDV contratou atletas sparring para treinarem com os judocas paralímpicos. “Eles vinham treinar com a gente, a gente teve um espaço e tinha testes todos os dias, eles não podiam pegar transporte público, a gente também não, então deu para fazer uma preparação dentro das possibilidades no melhor que podia naquele momento.”

A brasileira acredita que ter um ano a mais de preparo foi positivo para se sentir pronta. “Eu vim totalmente preparada para os Jogos. Esse um ano de pandemia para mim foi para me reestruturar e chegar aqui na melhor condição possível.”

Sobre a falta de torcida no momento da competição, Lúcia Araújo garante que a equipe unida foi suficiente para trazer emoção à luta. “Estamos em treze pessoas aqui da equipe de judô, quando entra um, é todo mundo que está ali dentro, e a gente faz um barulho diferenciado no tatame, foi um barulho bem forte.”

(*supervisão de Elis Franco)

Mais Recentes da CNN