Governo do DF volta a proibir presença de público em competições esportivas

“Ter um jogo de futebol com 40 mil pessoas, 50 mil pessoas, não é recomendável em um momento como esse”, declarou o governador Ibaneis Rocha

Proibição de público em competições esportivas no Distrito Federal acontece em meio ao avanço da variante Ômicron do coronavírus
Proibição de público em competições esportivas no Distrito Federal acontece em meio ao avanço da variante Ômicron do coronavírus Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Douglas PortoDanilo Moliternoda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, determinou, nesta quinta-feira (27), em decreto publicado no Diário Oficial, uma nova proibição de público em competições esportivas. A medida acontece após o avanço da variante Ômicron do coronavírus.

Segundo o chefe do Executivo local, o fechamento de espaços e a paralisação de atividades como ocorreu em março de 2020, no começo da pandemia, não será necessário, mas é “preciso tomar medidas pontuais para evitar grandes aglomerações.” O Distrito Federal está com 100% dos leitos de Unidade Terapia Intensiva (UTI) ocupados segundo levantamento da Agência CNN.

“Ter um jogo de futebol com 40 mil pessoas, 50 mil pessoas, não é recomendável em um momento como esse”, declarou Ibaneis.

Foram revogados cinco artigos do Decreto 42.730 de 23 de novembro de 2021 que definiam regras para a retomada de eventos, sendo eles:

  • Pessoas imunizadas contra a Covid-19, mediante comprovação de imunização, após quinze dias do recebimento da segunda dose da vacina ou da dose única, nos casos indicados pelo fabricante.
  • Ficam excluídas da apresentação do comprovante de vacinação as pessoas que não podem tomar a vacina em virtude das orientações das autoridades sanitárias, mediante comprovação da impossibilidade.
  • A verificação e fiscalização dos cartões de vacinação do público que adquirir o ingresso ficará sob responsabilidade da entidade organizadora do evento e, nos casos de arenas ou ginásios ou estádios concedidos aos particulares, também da concessionária que administra o local.
  • Organização da entrada e saída do local de competição de modo a evitar a aglomeração do público.
  • O consumo de alimentos e bebidas será feito preferencialmente em seus assentos, sendo vedado o consumo em áreas comuns, salvo se a área comum cumprir os protocolos estabelecidos no item C do Anexo Único deste Decreto.

Em decreto publicado em 19 de janeiro, o uso de máscaras de proteção facial contra a Covid-19 voltou a ser exigido “em todos os espaços públicos, inclusive em ambientes ao ar livre, vias públicas, equipamentos de transporte público coletivo, estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços e nas áreas de uso comum dos condomínios residenciais e comerciais, no âmbito do Distrito Federal”.

O DF havia liberado a presença de público em decreto de 15 de julho de 2021. Em um primeiro momento, foi autorizado a ocupação de 25% da capacidade, contando que os torcedores comprovassem estarem vacinados contra a Covid-19 ou apresentem um teste RT-PCR negativo para a doença emitido até 48h antes da partida.

Na época, o estádio Mané Garrincha sediou o jogo entre Flamengo e Defensa y Justícia, da Argentina, pela Copa Libertadores da América, no dia 21 do mesmo mês. Os cariocas venceram por 4 a 1.

 

Mais Recentes da CNN