Hamilton é liberado para correr em Abu Dhabi após teste negativo de Covid-19

Com testes negativos e cumprimento do périodo de isolamento, Hamilton poderá disputar o prêmio de Abu Dhabi 
Com testes negativos e cumprimento do périodo de isolamento, Hamilton poderá disputar o prêmio de Abu Dhabi  Foto: Bryn Lennon/Reuters

Alan Baldwin, da Reuters

Ouvir notícia

O heptacampeão mundial de Fórmula 1 Lewis Hamilton voltará a correr pela Mercedes no Grande Prêmio de Abu Dhabi de domingo, que encerra a temporada, após ter resultado negativo em teste de Covid-19, informou a equipe nesta quinta-feira (10).

No GP de Sakhir do final de semana passado, Hamilton foi substituído pelo compatriota britânico George Russell, que não venceu a prova.

Leia e assista também:

F1: Hamilton conquista sétimo título e iguala marca de Schumacher
Automobilista Lewis Hamilton lamenta morte de João Alberto
F1: Hamilton conquista sétimo título e iguala marca de Schumacher

A Mercedes disse que Hamilton, já chegou ao circuito de Yas Marina depois de concluir dez dias de quarentena no Barein. Russell voltará à Williams, sua equipe regular, e o reserva Jack Aitken deixa seu lugar depois de estrear no final de semana passado.

“Lewis detectou negativo para o teste de Covid-19, realizado na quarta-feira, antes do término do seu período de isolamento no Barein”, disse a Mercedes em um comunicado.

“Isto lhe permitiu viajar a Abu Dhabi na manhã de quinta-feira (10), e ele teve um resultado negativo ao chegar. Lewis, portanto, completou os protocolos exigidos pela FIA para sua entrada nos boxes, e poderá participar da corrida no final de semana “, refoça a equipe.

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) confirmou separadamente que Hamilton terá acesso aos boxes depois de ser examinado também em Abu Dhabi.

A notícia dá a Hamilton uma chance de vencer pela 12ª vez em 17 provas, um resultado que consolidaria a temporada de 2020, afetada pela pandemia, como sua mais bem-sucedida até hoje.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)

Mais Recentes da CNN