Ítalo Ferreira vence australiano, vai à final e já é medalhista nas Olimpíadas

Brasileiro derrotou Owen Wright por 13,17 a 12,47 e agora duelará com Kanoa Igarashi

O brasileiro Ítalo Ferreira surfa onda durante as semifinais da competição masculina de surfe nos Jogos Olímpicos
O brasileiro Ítalo Ferreira surfa onda durante as semifinais da competição masculina de surfe nos Jogos Olímpicos Foto: Francisco Seco / AP

Leandro Silveira, colaboração para a CNN

Ouvir notícia

Ítalo Ferreira será o representante do Brasil na final masculina do surfe nas Olimpíadas de Tóquio. O potiguar avançou em busca da medalha de ouro ao derrotar o australiano Owen Wright por 13,17 a 12,47, na praia de Tsurigasaki, palco da modalidade no evento. Seu rival será o japonês Kanoa Igarashi, algoz de Gabriel Medina. 

Assim, mesmo que seja derrotado, Ítalo já tem assegurada uma medalha para o Brasil, a primeira do surfe, que faz a sua estreia no programa olímpico, e a quinta do país nos Jogos de Tóquio. E ele terá a chance de ser campeão olímpico, sendo que em 2019 ele fez história ao faturar o título do Circuito Mundial. 

A final olímpica contra Kanoa Igarashi será disputada a partir das 3h46 (horário de Brasília). Já a disputa do bronze de Medina diante de Wright vai ser às 2h16. 

Ítalo, agora, com medalha garantida, chegou aos Jogos de Tóquio como um dos favoritos na disputa do surfe nas Olimpíadas. E fez grande campanha desde a estreia. Venceu sua bateria na primeira fase e depois passou pelo neozelandês Billy Steardman nas oitavas de final. Nas quartas de final, derrotou o japonês Hiroto Ohhara numa bateria em que conseguiu a maior nota até agora da modalidade no evento – 9,73.

“O meu foco é a medalha de ouro, então vou concentrar as minhas energias para ir para cima. Estou sentindo a minha perna há alguns dias, mas tudo isso faz parte”, disse o brasileiro, em entrevista ao SporTV. 

Bateria equilibrada

A bateria entre Ítalo e o australiano foi muito equilibrada. Wright saiu na frente com uma nota 5,00, mas viu o brasileiro reagir com um 4,50 e 6,50. Só que o australiano obteve um 6,00 para igualar o duelo, embora com o potiguar à frente, por ter a nota maior, o que é um critério de desempate. 

Assim, a disputa chegou completamente indefinida na sua parte final. Um 6,67 colocou Ítalo à frente. Depois disso, Wright entrou em algumas ondas, mas não conseguiu melhorar as suas notas. E, desse modo, o campeão mundial de 2019 pôde comemorar a classificação à final olímpica. 

 

 

Mais Recentes da CNN