Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Jurada trans da canoagem defende a luta da filha pela igualdade de gênero

    Kimberly Daniels está nas Olimpíadas de Tóquio para julgar a canoagem slalom, modalidade na qual sua filha Haley representa o Canadá

    Kimberly Daniels (à direita) e sua filha Haley marcam presença nas Olimpíadas de Tóquio
    Kimberly Daniels (à direita) e sua filha Haley marcam presença nas Olimpíadas de Tóquio Foto: Instagram/Reprodução

    Tim Kelly, da Reuters

    Ouvir notícia

    Kimberly Daniels está nas Olimpíadas de Tóquio para julgar a canoagem slalom, modalidade na qual sua filha Haley representa o Canadá em um evento recém-apresentado nos Jogos.

    Apesar do foco nos atletas e na disputa do ouro olímpico, agora Kimberly teme que ela própria roube os holofotes com a atenção que está chamando como uma jurada olímpica abertamente transgênero.

    “Acho que sou uma pioneira aqui hoje. Eu realmente esperava sair e ficar quieta”, disse ela. “Meu objetivo sempre foi ser vista como mulher, agora tenho que me ver como uma mulher transgênero e isso também é um grande passo.”

    Transição

    Antes de sua transição, Daniels integrou o time de jurados da canoagem slalom no Rio de Janeiro em 2016. Ela não tinha planejado a transição até depois dos Jogos de Tóquio, mas, devido ao atraso de um ano gerado pela pandemia de Covid-19, chegou a Tóquio como mulher.

    O COI não tem nenhuma restrição a juízes transexuais ou atletas transexuais masculinos. Uma decisão de 2015 permite que mulheres transgênero compitam em eventos femininos se seus níveis de testosterona forem testados abaixo de um determinado nível estabelecido.

    Em Tóquio, a halterofilista da Nova Zelândia Laurel Hubbard será a primeira mulher trans a competir. A atleta de 43 anos, que iniciou a transição em 2013, participará da categoria superpesado até 87 kg no dia 2 de agosto.

    Kimberly Daniels e sua filha Haley marcam presença nas Olimpíadas de Tóquio
    Foto: Instagram/Reprodução

    Divergências

    Os críticos das novas diretrizes argumentam que as mulheres que passaram pela puberdade como homens têm uma vantagem de força, enquanto aqueles que apoiam a mudança dizem que outras variações biológicas aceitas, como altura, significam que o esporte nunca foi um campo de jogo nivelado.

    Daniels, cujo modelo é a celebridade transgênero e medalhista olímpica de ouro Caitlyn Jenner, diz que tem sentimentos confusos sobre as mulheres transgênero competindo em alguns eventos femininos.

    “Tenho 1,8 metro, tenho mãos enormes, costumava jogar futebol”, disse Daniels, apontando para uma cicatriz num dos joelhos. “Por outro lado, perdi muita massa muscular. Também acho importante que as pessoas expressem quem são.”

    Daniels julgará a competição de canoagem slalom feminina na qual Haley competirá. O evento foi introduzido no lugar das duplas de slalom masculino, parte do esforço do COI para equilibrar o número de atletas e eventos femininos.

    “Minha filha tem lutado pela igualdade de gênero na maior parte de sua carreira no remo”, disse Daniels.

    Mais Recentes da CNN