Maradona foi sedado para conter sintomas de crise de abstinência, segundo médico

Apesar de algumas reações adversas, a equipe médica do ex-jogador afirma que a recuperação da cirurgia para a retirada de um coágulo do cérebro corre bem

Diego Maradona passou por uma cirurgia no cérebro nesta semana
Diego Maradona passou por uma cirurgia no cérebro nesta semana Foto: Reprodução/Facebook

Ouvir notícia

O ídolo do futebol argentino Diego Maradona, que passou por uma cirurgia cerebral no início da semana, para a retirada de um hematoma subdural, apresentou sintomas de crise de abstinência, de acordo com declarações na sexta-feira (6) de seu médico particular Leopoldo Luque.

Maradona, que completou 60 anos no dia 30 de outubro, fez uma cirurgia na quinta-feira (5) para retirar um coágulo do cérebro. A recuperação dele tem sido conforme o esperado, segundo sua equipe médica em Buenos Aires.

“Sua sedação está diminuindo e notamos uma resposta muito boa de Diego (Maradona), uma resposta neurológica”, disse Luque na sexta. “Então, o próximo passo é ver se Diego fica estável apenas com os remédios tomados oralmente. Esse seria um grande passo”.

Os sintomas de Maradona envolveram “reações de suor” e “em dado momento raiva”, revelou Luque, adicionando que a resposta do ex-jogador se dá “principalmente pelo consumo…durante sua vida”. 

Leia também:
Casemiro e Hazard testam positivo para Covid-19, diz Real Madrid
Polícia cumpre mandados de busca e apreensão contra torcedores do Vasco
Plataforma virtual aproxima fãs de grandes ídolos do esporte

“Baseado no que dissemos, é uma crise de abstinência”, disse ele. “Estamos tratando isso não o deixamos sair ainda. Diego não concordou muito. Nós insistimos e o que aconteceu, aconteceu.”

A recuperação de Maradona “continua muito boa”, segundo os médicos. Ele foi inicialmente admitido no hospital na segunda-feira como uma medida preventiva, de acordo com Luque, devido a um mal-estar. O diagnóstico no momento foi de desidratação e anemia.

Entretanto, exames subsequentes revelaram que ele tinha um coágulo no cérebro e foi imediatamente transferido de um hospital em La Plata para uma clínica em Olivos para a cirurgia.

Um hematoma subdural é considerado como “uma das doenças cerebrais mais fatais”, de acordo com a Biblioteca de Medicina dos EUA.

É um coágulo sanguíneo na superfície do cérebro e sob a sua cobertura externa, chamada dura. É normalmente causado por diversos traumas no crânio, mas também pode ser provocado por ferimentos pequenos e pode ser silencioso por dias ou semanas.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)

Tópicos

Mais Recentes da CNN