Medina vence na estreia e se junta a Ítalo nas oitavas do surfe nas Olimpíadas

Brasileiro obteve um somatório de 12,23 nas suas ondas para derrotar os rivais na 1ª fase

Leandro Silveira, colaboração para a CNN

Ouvir notícia

O brasileiro Gabriel Medina iniciou com vitória a participação nas Olimpíadas de Tóquio. Na sua bateria, a quinta da primeira fase, ele superou os seus concorrentes, o francês Michel Bourez e o alemão Leon Glatzer, se classificando diretamente às oitavas de final. A modalidade, que pela primeira vez faz parte do programa olímpico, está sendo realizada na praia de Tsurigasaki, em Ichinomiya.

Medina chegou a Tóquio como uma das grandes esperanças de medalha do Brasil. Afinal, é o líder do Circuito Mundial em 2021, tendo sido finalista de 5 das 6 etapas já realizadas, com duas vitórias. Nas últimas semanas, porém, se falou mais dele em função do desgaste com o COB pelo veto à ida da sua mulher, Yasmin Brunet, como parte do estafe do Time Brasil nas Olimpíadas. Mas na sua estreia deu sinais de que pode ser um dos destaques do país no evento. 

Com o mar fraco da praia japonesa, Medina chegou a estar em desvantagem em boa parte da sua bateria, ocupando apenas o terceiro lugar em alguns momentos. Mas conseguiu se destacar nos 10 minutos finais, quando conseguiu surfar duas boas ondas, obtendo as notas 6,20 e 6,03. E obteve um somatório de 12,23. 

“É muito diferente do que a gente tinha, é um mundo muito profissional onde tem os melhores do mundo e eu fico feliz de fazer parte desse time”, disse Medina. “Eu sei que eu consigo surfar mais, mas a bateria foi boa para estar mais adaptado com o mar. No começo teve um momento que eu não achei nada e tiveram 4 minutos ali que resolveram a bateria, esse é o ‘Beach Break’ do Japão, a bateria só acaba quando termina, pode acontecer qualquer coisa”, acrescentou. 

Gabriel Medina surfa onda na praia de Tsurigasaki
Gabriel Medina estreia na disputa do surfe na Olimpíada na praia de Tsurigasaki em Ichinomiya
Foto: Francisco Seco / AP

Quem também avançou junto a Medina foi Bourez, que representa a França nas Olimpíadas e o Taiti no Circuito Mundial. Com as notas 5,43 e 4,67, ficou com 10,10, na segunda colocação. O alemão Leon Glatzer, com 10,00, foi para a repescagem. O costarriquenho Carlos Muñoz, chamado para substituir o português Frederico Morais, que contraiu o coronavírus, não chegou a tempo de participar da bateria. 

Outro representante brasileiro na disputa masculina do surfe e candidato ao pódio nos Jogos de Tóquio, Italo Ferreira também estreou neste domingo (no horário japonês). Na primeira bateria do dia. E também se deu bem. Venceu a sua série com um somatório de 13,67 pontos e avançou direto para a terceira fase, que começará às 19 horas deste domingo, no horário brasileiro. O desempenho do campeão mundial de 2019 foi, aliás, o melhor da fase inicial das Olimpíadas. 

Além dos brasileiros, outros oito surfistas se classificaram diretamente às oitavas de final. Foram eles: os japoneses Hiroto Ohhara e Kanoa Igarashi, o norte-americano Kolohe Andino, os peruanos Miguel Tudels e Lucca Mesinas, o australiano Owen Wright, o marroquino Ramzi Boukhiam e Bourez.

Quem não ficou nas duas primeiras posições das baterias da primeira fase do surfe não está eliminado das Olimpíadas. A nova chance de avançar será na repescagem, marcada para 1h40 deste domingo. E contará com a participação do havaiano John John Florence, que compete pelos Estados Unidos e já foi duas vezes campeão mundial, sendo visto como um forte candidato ao pódio. 

Tati e Silvana também avançam

No evento feminino, as duas representantes brasileiras também se garantiram nas oitavas de final. Silvana Lima foi a primeira a entrar na água. E com notas 6,70 e 5,43, somou 12,13 pontos. Ela foi a segunda colocada da sua bateria, atrás da australiana Stephanie Gilmore, lenda do surfe e sete vezes campeã mundial, tendo estreado na Olimpíada com 14,50. E ambas terminaram à frente da francesa Pauline Ado (9,17) e da israelense Anat Lelior (7,77). 

Tatiana Weston-Webb, embora com uma pontuação menor do que Silvana, venceu a sua bateria com 11,33 pontos (6,33 + 5,00). Ela deixou para trás a francesa Johanne Defay, com 10,60 e que também se garantiu nas oitavas de final. A peruana Sofia Mulanovich (7,80) e a japonesa Amuro Tsuzuki (6,99) foram para a repescagem. 

 

Mais Recentes da CNN