Michael Jordan anuncia doação de US$100 milhões para luta pela igualdade racial

‘Vidas negras importam. Esta não é uma afirmação controversa’, afirmou a lenda do basquete em comunicado

O ex-jogador de basquete Michael Jordan (24.fev.2020)
O ex-jogador de basquete Michael Jordan (24.fev.2020) Foto: Lucy Nicholson/Reuters

Frank Pingue, da Reuters

Ouvir notícia

A lenda do basquete Michael Jordan e sua marca Jordan Brand prometeram nesta sexta-feira (5) a doação de US$ 100 milhões nos próximos 10 anos para as organizações dedicadas a garantir a igualdade racial nos Estados Unidos.

O anúncio acontece enquanto manifestantes têm tomando as ruas nos Estados Unidos contra racismo sistêmico e a brutalidade policial, após a morte de um homem negro desarmado, George Floyd, que teve o pescoço pressionado pelo joelho de um policial branco em Minneapolis.

“Vidas negras importam. Esta não é uma afirmação controversa”, afirmou Jordan no comunicado.

Leia também:

NBA define formato de disputa para retorno da temporada em 31 de julho

Anderson Silva: policiais me seguiam até minha casa nos EUA

“Até que o racismo germinado que leva instituições de nosso país a falharem seja completamente erradicado, continuaremos comprometidos em proteger e melhorar a vida dos negros”.

Jordan, seis vezes campeão da NBA que liderou a dinastia do Chicago Bulls nos anos 1990, é membro do Hall da Fama do Basquete e dono do Charlotte Hornets.

No início da semana, Jordan manifestou indignação com a morte de Floyd, dizendo que estava “profundamente triste, repleto de dor e com muita raiva” e que estava do lado daqueles “que se opõem ao racismo e a violência arraigados contra pessoas de cor em nosso país”.

Mais Recentes da CNN