Não é todo dia que você realiza um sonho, diz Medina à CNN após tricampeonato

Surfista supera frustração da Olimpíada e volta ao topo com título mundial

O surfista Gabriel Medina
O surfista Gabriel Medina Instagram/Reprodução

Bruno Oliveirada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Por três vezes, o brasileiro Gabriel Medina se sagrou campeão mundial de surfe: 2014, 2018 e agora 2021

Com o título, Medina se torna o quarto surfista da história tricampeão do mundo, ao lado do americano Tom Curren – 1985/86, 1986/87 e 1990 -, do americano Andy Irons – 2002, 2003 e 2004 – e do australiano Mick Fanning – 2007, 2009 e 2013.

Acima dos quatro, somente o australiano Mark Richards com quatro campeonatos mundiais – 1979, 1980, 1981, 1982 – e a lenda e maior nome do surfe, o americano Kelly Slater com 11 troféus – 1992, 1994, 1995, 1996, 1997, 1998, 2005, 2006, 2008, 2010, 2011.

Um dia depois da conquista, Medina atendeu jornalistas do mundo todo em entrevistas concorridas e cronometradas – cerca de 10 minutos para cada veículo de imprensa. À CNN, o atleta contou que dos três títulos, o atual é o mais especial.

“Três vezes campeão mundial foram poucas pessoas que conseguiram. E para chegar aqui eu tive exemplos e inspirações no meu dia a dia para me dedicar, que foi o Ayrton Senna, o Pelé e o Mick Fanning. Esses caras são intocáveis. Então, por eu ter conseguido esses três títulos mundiais, coisa que eles também conseguiram, e que era um sonho desde que eu comecei a praticar esse esporte, não tem como não ser esse. Esse era o meu objetivo e não é todo dia que você realiza um sonho”, afirmou.

Se hoje Medina comemora, a realidade era bem diferente há menos de dois meses, quando o brasileiro ficou sem medalha nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Apesar da frustração, o surfista revelou a estratégia que usou para não deixar o campeonato mundial escapar.

“No Japão eu fiz o que pude, fiz o meu melhor e foi do jeito que foi. Mas depois disso não tem muito o que fazer porque se você ficar pensando você vai ficar preso em um sentimento ruim, em um pensamento ruim. Eu sabia que tinha essa oportunidade de título mundial, me preparei do melhor jeito possível, sempre pensando positivo. Eu foquei nisso, não fiquei chorando pelo que já foi, eu segui minha vida e Deus me abençoou com essa vitória. Quando você pensa coisas positivas e vive isso no seu dia a dia com foco, com sonho na cabeça, as coisas atraem. Eu só não esperava que ia ser tão rápido assim. Deus me abençoou e eu estou muito feliz”, explicou.

Na Olimpíada, o brasileiro não contou com a presença da esposa, a modelo Yasmin Brunet.

Em entrevista exclusiva à CNN antes dos Jogos, o atleta contou que questionou o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) sobre o motivo de não conseguir credencial para levar Yasmin.

Já em Lower Trestles, Califórnia (EUA) e nas demais etapas do circuito mundial, a modelo esteve presente, o que foi motivo de alegria para o surfista.

“Esse foi um ano atípico, com muitas coisas diferentes e eu fiquei muito tempo fora de casa. Então, ter tido ela nas etapas me fez sentir mais em casa. Isso me ajudou a performar. Em questão de competição foi o meu melhor ano em resultados. E fico feliz de poder ter compartilhado esse título mundial com ela porque foi um ano difícil, até para quem está do lado”, afirma.

“Tenho meus compromissos, minhas coisas para fazer, o campeonato. Mas quem está do lado também abdica de uma vida para viver essa vida que eu tenho. Então, fico muito feliz de poder ter dividido essa felicidade porque ela estava comigo. A gente passou por várias coisas juntos e a gente venceu juntos”, completa.

Com o fim da temporada, Medina afirmou que ainda não traçou os próximos objetivos profissionais, e que agora só quer deixar a poeira baixar e viver os dias sem rotina, acordando e dormindo a hora que quiser.

“Nesses últimos 10 anos eu disputei título mundial. Então, toda hora eu estou no desafio, toda hora duvidam de mim, toda hora criticam, pressionam, comparam, então, é difícil você se manter equilibrado e ganhar título mundial. Então, como ser humano, eu me sinto realizado. Como eu falei, não é todo dia que você realiza um sonho, é muito difícil e tem que se dedicar mesmo, não tem outro jeito. Mas tudo valeu a pena, tudo fez sentido, todo o processo. Até nos dias de tristeza, justo, não justo, com o título, tudo fez sentido”, contou.

Mais Recentes da CNN