Não foi surpresa, foi treino, afirmam atletas sobre melhor campanha do boxe

Grupo voltou ao Brasil com medalhas de ouro, bronze e prata

Beatriz Ferreira é medalhista olímpica pelo boxe brasileiro
Beatriz Ferreira é medalhista olímpica pelo boxe brasileiro Foto: Miriam Jeskie / COB

Marcela Monteiro, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Os boxeadores Hebert Conceição, ouro no peso médio, Bia Ferreira, prata no peso leve, e Abner Teixeira, bronze no meio pesado, voltaram ao Brasil nesta quarta-feira (11) carregando suas conquistas e muitas histórias. O grupo nem parecia que tinha acabado fazer uma viagem longa, tamanha era a empolgação com os resultados. Segundo eles: “a adrenalina ainda não tinha baixado”.

O número um do pódio teve uma final difícil, perdeu o primeiro e o segundo rounds e precisou ir para o tudo ou nada. Disse que precisava ver a luta e aproveitou o tempo do voo para fazer isso, mas era tanta emoção que preferiu escolher um momento específico.

“Única parte que vi foram os dez segundos antes do nocaute. Foi o que eu consegui. O nocaute que garantiu minha vitória. Só tinha três minutos para resolver a luta, arrisquei mesmo. E deu certo”, comemorou Hebert.

Bia Ferreira trouxe medalha de prata e também um convite especial para as meninas. Ela quer aproveitar desempenho das atletas brasileiras para incentivar outras a entrarem no esporte. “A mulherada arrasou muito. Estou muito feliz com isso também. Quero deixar claro que mulher pode fazer o que quiser, até mesmo ser uma medalhista olímpica”.

Abner teixeira lembrou que começou no boxe por meio de um projeto social e aproveitou para deixar um recado para os jovens que estão começando agora. “No início eu não achava que iria tão longe. Mas vi que com treino os resultados vinham. Deixo aqui um incentivo para quem está começando. Por mais que pareça inalcançável é possível. Eu estou aqui. Sou um exemplo disso. Vocês também podem!”

O boxe brasileiro fez a melhor campanha da história nessas Olimpíadas de Tóquio. Os atletas agora querem descansar um pouco e já focar no próximo desafio: Olimpíadas de Paris 2024.

Mais Recentes da CNN